Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/11/14 às 11h17 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Prematuridade é a principal causa de morte em recém-nascidos

No Dia Mundial de Sensibilização sobre o tema, Secretaria alerta sobre a necessidade do pré-natal para evitar partos antes da hora

BRASÍLIA (17/11/14) – Nesta segunda-feira (17), comemora-se o Dia Mundial de Sensibilização da Prematuridade que, no Distrito Federal, corresponde a 12,5% dos recém-nascidos.

“A gente possui essa cifra porque grande parte dos casos de gravidez de alto risco de cidades próximas ao DF procura a nossa rede e, apesar de não serem moradoras, aumentam o índice daqui”, esclarece a coordenadora de neonatologia da Secretaria de Saúde, Marta Vieira.

A médica alerta que a maioria de casos de prematuros é evitável e que a melhor forma de preveni-los é a mulher fazer um acompanhamento correto da gravidez. “Não fazer um pré-natal adequado aumenta muito o risco de ter um bebê prematuro.”

Riscos
Entre as principais causas de partos prematuros estão a hipertensão e infecções, principalmente a urinária e a vaginal. Mesmo que a grávida desenvolva um desses quadros, eles podem ser controlados durante o pré-natal correto.

Os prematuros são classificados entre extremos, aqueles que nascem antes das 28 semanas, e tardios, entre 34 e 37 semanas. Os primeiros costumam precisar de internações prolongadas em UTI neonatal, disponíveis no DF nos hospitais da Ceilândia, Taguatinga, Sobradinho, Santa Maria e HMIB. Já os tardios, podem ficar em unidades intermediárias.

“Quanto mais prematuro, maior o risco de o bebê apresentar sequelas”, frisa a neonatologista. Entre as mais frequentes, estão os déficits de atenção e visual, cegueira, surdez, hiperatividade e desenvolvimento mais lento, principalmente no primeiro ano.

A maioria dos óbitos infantis é de recém-nascidos e, desses, a maior parte é de prematuros. “E a gente observa que essa mortalidade está relacionada a complicações na gestação e no parto, que poderiam ser evitadas com o pré-natal adequado”, explica Marta Vieira.

Pré-natal
Quando uma mulher suspeita ou sabe que está esperando um bebê, deve procurar a unidade de saúde básica. Lá, ela poderá confirmar a gravidez de forma imediata, realizar exames rápidos de HIV e sífilis, além de entrar no programa de pré-natal, agendando a primeira consulta ou orientação. Dessa maneira, a mãe estará evitando ter um parto prematuro.