Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/20 às 17h57 - Atualizado em 11/02/20 às 13h07

Profissionais da atenção primária da Região Oeste participam do QualisAps

COMPARTILHAR

Encontro reuniu 100 servidores e pretende fortalecer e qualificar a atenção e gestão dos serviços prestados 

 

Cem servidores da atenção primária da Região de Saúde Oeste, que engloba Ceilândia e Brazlândia, participaram da quinta oficina do Programa Qualis-APS, que pretende fortalecer e qualificar a atenção e gestão dos serviços prestados na atenção primária. Foi o encontro que mais reuniu profissionais dentre todos os outros que já aconteceram nas regiões Sul, Leste, Centro-Sul e Central.

 

Na abertura da oficina, o gerente de Estratégia de Saúde da Família da Secretaria de Saúde, Fernando Erick Damasceno, destacou a importância da participação dos servidores nessa construção de uma atenção primária de mais qualidade à população.

 

“O projeto tem como plano de fundo a solidificação do modelo de estratégia de saúde da família. Precisamos trabalhar para uma cobertura real de 75% da população, com dimensionamento real da população, com territorialização feita corretamente”, destacou ele. Segundo Fernando Erick, a Região de Saúde Oeste foi a que mais se destacou em uma das etapas dessa meta: no cadastramento da população.

 

DINÂMICA – Assim como nas outras oficinas, os participantes foram divididos em grupos focais e rodas reflexivas. Foram três grupos, sendo um formado por médicos, enfermeiros e dentistas; outro por agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem e de saúde bucal; e o terceiro com gerentes e supervisores. Nas rodas, foram formados grupos com servidores multiprofissionais. Eles tiveram duas horas para discussões. Os profissionais levaram para as relatorias as vivências e sugestões, com base na experiência deles, de como deve ser uma atenção primária de qualidade.

 

PROGRAMA – O Programa de Qualificação da Atenção Primária (Qualis APS) foi lançado em setembro do ano passado, com o objetivo de fortalecer a estratégia de saúde da família. É uma parceria entre a Secretaria de Saúde, Universidade de Brasília (UnB), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec).

 

Foram propostas quatro metas dentro do programa: avaliação participativa, curso de especialização em gestão na atenção primária, curso de aperfeiçoamento para profissionais da atenção primária e comunicação.

“O principal deste projeto é a participação dos trabalhadores que atuam na atenção primária, com escuta qualificada para buscar elementos que subsidiarão na construção de padrões. Precisamos construir um instrumento que tenha a cara da atenção primária do Distrito Federal, que tem suas peculiaridades”, diz a professora da faculdade de Medicina, Kátia Poças, umas das mediadoras das oficinas.

 

Muitas das discussões das oficinas realizadas este ano estão baseadas nos encontros que aconteceram em 2019, quando participaram superintendentes e diretores de atenção primária. Ainda faltam ser ouvidos os servidores das regiões de saúde Sudoeste, em 13 de fevereiro, e Norte, em 18 de fevereiro.

 

“Depois disso, pretendemos ouvir os usuários e as instituições relacionadas à atenção primária, como as associações de médicos e enfermeiros”, diz Kátia Poças. Para isso, contam com a ajuda do Conselho Distrital de Saúde na articulação da participação dos usuários de todas as regiões de saúde.

 

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Geovana Albuquerque/Saúde-DF