Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/03/15 às 20h03 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Profissionais de salão de beleza serão capacitados

COMPARTILHAR

Medida foi adotada para que trabalhadores se adequem às normas sanitárias

 

BRASÍLIA (4/3/15) – Para atender às recomendações da Vigilância Sanitária para capacitação de profissionais, salões de beleza, barbearias e clínicas de estética do Distrito Federal terão à disposição cursos oferecidos pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). As capacitações terão abrangência nas áreas de microbiologia, desinfecção, esterilização de materiais e gerenciamento de resíduos.

A instrução, que deve gerar impactos positivos na qualidade do serviço prestado atualmente nestes estabelecimentos, é resultado de uma parceria entre as secretarias de Saúde, Economia e Desenvolvimento Sustentável e o Sebrae. O acordo foi celebrado nesta quarta-feira (4), no Palácio do Buriti, e contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg e do ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.

“O principal foco dessa medida é segurança à saúde, porque quem trabalha sem a observância das condições sanitárias – como esterilização de material – coloca em risco a saúde da população e dos usuários do serviço, sobretudo, à doenças como a hepatite”, alertou o secretário de Saúde, João Batista Sousa.

Segundo o titular da pasta, cada pessoa treinada atuará como responsável técnico pelo salão. “Eles não necessariamente precisam de graduação para atuar, mas precisam ter o curso para que todas as normas sanitárias sejam cumpridas dentro do estabelecimento que trabalha”, esclareceu.

Estão incluídos na lista de trabalhadores que realizarão o treinamento: cabeleireiros, barbeiros, depiladores, manicures e pedicures, profissionais de estética facial, corporal e banho de ofurô, além de massagistas e outros prestadores de atividades similares.

O calendário com o cronograma de capacitação está em fase de elaboração e os cursos devem começar em breve. Após seis meses contados do início dos cursos, as ações do governo serão avaliadas.

Com isso, serão verificadas as condições para exigir que as empresas cumpram os critérios mínimos sanitários e diretrizes gerais de funcionamento, previstos na Norma Regulamentadora nº 006/2014, publicada pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária da SES.