Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/02/13 às 18h27 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Profissionais discutem Rede Cegonha na Região Sudoeste

COMPARTILHAR

Os coordenadores de Saúde do Recanto das Emas, Taguatinga e Samambaia reuniram-se nessa quinta-feira (7) a fim de discutir instrumentos e ações que melhorem o fluxo de atendimento das gestantes de alto risco. A estratégia faz parte da Rede Cegonha, e tem como principal foco o bem estar da mãe e do bebê, em todos os estágios da gestação e durante os primeiros anos de vida. 

O coordenador geral de Saúde do Recanto das Emas, Fábio Sabino, lembrou que as reuniões dos profissionais de saúde inseridos na Região Sudoeste, composta pelas cidades de Taguatinga, Samambaia e Recanto das Emas, promovem maior integração entre os técnicos, o que agiliza as tomadas de decisões e a prática das ações pactuadas.

O encontro dos profissionais, realizado na Clínica da Família do Recanto das Emas, foi coordenado pela representante do grupo gestor de redes da Secretaria de Saúde, Alexandra Miranda Moura. Segundo ela, os encontros relativos à Rede Cegonha são semanais e algumas vezes contam com o suporte dos coordenadores regionais. Nessa quinta-feira a reunião teve a participação dos Coordenadores Gerais de Taguatinga, Otávio Augusto Rodrigues e de Samambaia, Manoel Fontes.

Além da busca por um melhor fluxo do atendimento, ficou decidida uma maior sensibilização por parte das equipes que são ligadas ao atendimento à gestante, incluindo o pessoal administrativo, que faz parte de uma das fases do acolhimento.

A meta é fazer com que a gestante, ao dar entrada nos hospitais de Taguatinga e de Samambaia, tenha garantia de acesso e avaliação, não importando se esse atendimento seja diretamente do obstetra. “Quando o obstetra estiver em cirurgia, qualquer outro profissional poderá atender a gestante, medir a pressão arterial, ouvir os batimentos cardíacos do bebê e, se for o caso encaminhá-la para outro hospital”, propôs Alexandra.

A pactuação da linha de cuidados com as gestantes tem participação do Programa de Humanização, de Assistência à Saúde da Mulher e dos profissionais médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, de laboratório, administrativos e demais áreas de atendimento à mãe e seu bebê.

Arielce Haine