Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/07/19 às 17h19 - Atualizado em 9/07/19 às 17h19

Profissionais do Hmib participam do seminário de aprimoramento em enfermagem obstétrica

Curso foi ministrado por especialistas da Escola de Enfermagem da UFMG

 

Médicos obstetras, enfermeiros, pediatras, residentes de enfermagem e medicina e técnicos de enfermagem do Hospital Materno e Infantil de Brasília (Hmib) tiveram uma segunda-feira (8) diferente. O dia foi dedicado ao Seminário de Aprimoramento da Enfermagem Obstétrica, oferecido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), com o objetivo de compartilhar a vivência e divulgar seus reflexos no modelo de atenção oferecido à mulher e ao recém-nascido.

 

O curso de aprimoramento teve como foco a atenção ao parto e ao nascimento, com a qualificação dos processos de cuidado e de gestão. Foi configurado como uma das ofertas para os serviços que integram o Projeto de Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (Apice ON), desenvolvido pelo do Ministério da Saúde (MS), e executado pela Escola de Enfermagem da Universidade de Minas Gerais, em parceria com o Hospital Sofia Feldman (HSF).

 

O treinamento teve, ainda, a participação da Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa, da Universidade Federal Fluminense; e da Escola de Enfermagem Anna Nery, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

O Apice ON é um serviço estimulador de reflexão e de mudança de práticas, visando a qualificar os processos de formação, gestão e atenção no que se refere ao parto, ao nascimento e ao abortamento. O projeto é desenvolvido, estrategicamente, em hospitais-ensino, onde há grande potencial de formação e disseminação de práticas assistenciais baseadas em evidências científicas.

 

DIAGNÓSTICO – Após a adesão dos hospitais ao Apice ON, iniciou-se um processo de análise e diagnóstico situacional dos hospitais, alcançadas a partir de discussões nos grupos estratégicos envolvendo gestores e integrantes das equipes assistenciais. O diagnóstico foi o ponto de partida para a elaboração de projetos e planos de ação, estabelecimento de metas e discussão de estratégias que viabilizassem a qualificação dos processos de trabalho, de formação, gestão e cuidado.

 

“Esse curso vem para fazer o aprimoramento dos profissionais que já são especialistas e, como há uma carência nacional desse tipo de atendimento, vai pegar aquele enfermeiro que não está na prática cotidiana e inseri-lo no cuidado direto ao parto e ao nascimento, e devolve-lo para o serviço com um outro olhar”, avaliou a enfermeira obstetra do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Yácara Ribeiro Ferreira.

 

Segundo ela, “tudo isso, vai ajudar a melhorar na assistência à mãe, ao recém-nascido e à família”. Yácara Ferreira já participou de um seminário semelhante a este no Rio de Janeiro ano passado e trouxe sua experiência como exemplo.

 

ESTRATÉGIAS – As reuniões dos grupos estratégicos acontecem periodicamente, o que possibilita avaliar as ações e reflexões sobre novas estratégias para o alcance das metas e resultados esperados.

 

“O Seminário é uma ferramenta de divulgação do movimento de qualificação do cuidado compartilhado, prestado à mulher no ciclo gravídico puerperal. É uma etapa importante do aprimoramento, onde os participantes falam sobre o que absorveram na primeira etapa, nos hospitais parceiros, e divulgam os indicadores e o que foi possível implementar nos locais que integram o Apice On”,  explica a enfermeira obstetra e organizadora do evento, Ivana Campos.

 

O evento contou com a participação de representantes da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (Abenfo), do Conselho Regional de Enfermagem (Coren), do Conselho Regional de Medicina (CRM), de gestores das instituições envolvidas, além do público-alvo.

 

Janiara Lara, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF