Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/01/14 às 13h48 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Programa Cárie Zero no Guará previne problemas dentários desde a infância

Pais podem esclarecer as dúvidas quanto à dentição, escovação e alimentação adequada

A odontologia da Regional do Guará realiza nos centros de Saúde encontros para a detecção precoce de problemas dentais. O programa Cárie Zero acompanha crianças de zero a seis anos sem cárie. Nas reuniões, os pais podem esclarecer as dúvidas quanto à dentição, escovação e alimentação adequada para evitar o surgimento das indesejáveis lesões. De acordo com a demanda, os grupos são formados a cada 15 dias sem lista de espera. Focado na prevenção, a primeira marcação é feita apenas para crianças de zero a um ano.

Após a participação na primeira reunião no programa, a cada seis meses há um novo encontro. Caso apresente alguma cárie, a criança sai do grupo e as consultas são marcadas de acordo com o risco de cárie da criança. Esse período pode ser de três meses a um ano mediante a avaliação do dentista.

Flávia Manzan, ortodontista do Centro de Saúde nº 02, alerta que é importante o acompanhamento diário da escovação nas crianças. “Prevenir é evitar o pior, infelizmente, tem crianças aqui que chegam tarde. Os pais devem estar atentos. Pesquisas revelam que a criança de até 10 anos não tem coordenação motora suficiente para realizar os movimentos da escovação corretamente. É melhor a criança chorar com os pais no banheiro do que na minha cadeira de dentista. Aqui é muito pior”, afirma a especialista.

O que poucas mães sabem é que o cuidado com os dentes do filho começam desde a gestação. Uma boa alimentação é essencial, além disso, problemas de saúde como infecções e o uso de remédios podem interferir na saúde bucal do seu filho. Manzan assegura que um bebê pode sim ter cárie.

“Apesar de ser um bebê, ele já tem todos os dentes ali embaixo da gengiva que é um tecido permeável. O dente quando aparece já pode nascer com cárie de peito e a mamadeira, principalmente a noturna, pode acelerar esse processo. Por isso, é importante começar a abordagem e sensibilização com os pacientes desde cedo. Cárie é uma doença que só tem quem quer”, afirmou a especialista.

Os problemas podem começar na primeira dentição. Os pais devem procurar o quanto antes um especialista e começar a prevenção que compreende a limpeza, orientação sobre a escovação e aplicação do flúor. Para evitar que esse quadro aconteça, é necessário ter atenção quanto à escovação que deve acontecer sempre após as refeições.

Alcione L. Costa trouxe o terceiro filho para fazer o acompanhamento do programa. O bebê, de apenas dois meses, veio para a primeira consulta. “O programa é muito bom porque desde bebê você já acostuma o seu filho a vir ao dentista. Ele não chora tanto e com esses cuidados, eu não tenho a surpresa de depois ter que trazer o meu filho para arrancar dente”, declarou Costa.

O que mais causa a cárie é o açúcar. Segundo a especialista, as mães insistem em oferecer bebidas açucaradas achando que o bebê irá rejeitar a alimentação. “Ele ainda não tem paladar para doce. Além disso, não é necessária a mamadeira da noite. A criança precisa dormir a noite toda porque o hormônio do crescimento é liberando nesse momento. Se ela chora é necessário ter outras opções de alento. Isso é um hábito ruim. A criança testa os pais e nessa hora, é preciso ter firmeza e disciplina de horários”, afirmou Manzan.

A limpeza segundo a especialista é simples, a boquinha tem que ser limpa a cada mamada. Quando os primeiros dentes aparecem, a higienização pode ser feita com o auxílio de uma dedeira de silicone, gaze ou fraldinha embebida em água filtrada. Se tiver os dentes posteriores, é necessário o uso de uma escova dental pequena e macia.

O primeiro sinal da cárie é o aparecimento de manchinhas esbranquiçadas ou pontos escuros, indolores. O mau hálito também é um sintoma. Segue abaixo os cuidados para evitar que a cárie se instale.

• É importante ter uma rotina, com horários que facilitam a limpeza para a mãe. Se os pais não conseguem fazer durante o dia, pode acompanhar a última escovação que é a mais importante.
• Se a criança fizer cinco refeições diárias, deve escovar os dentes cinco vezes.
• Tente tornar essa tarefa um momento divertido.
• Evitar o contato salivar com pessoas que têm cárie, como o compartilhamento de colheres e copos.
• Após o consumo de antibióticos e alimentos pastosos e consistentes, como bolachas recheadas e iogurtes, é preciso escovar os dentes.
• Evitar o consumo de pirulitos, balas e chicletes, que demoram, em média, cinco minutos ou mais para serem consumidos, são cariogênicos, já que promovem um tempo de contato prolongado do açúcar com os dentes.

Por Érika Bragança, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226