Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/03/20 às 15h11 - Atualizado em 31/03/20 às 16h08

Quatro regiões recebem força-tarefa contra a dengue

Ação contou com reforço de 130 novos agentes de Vigilância Ambiental

 

Os moradores de Santa Maria, Recanto das Emas, Ceilândia e Sol Nascente/Pôr do Sol receberam, neste sábado (28), a visita das equipes da Vigilância Ambiental para inspeção dos domicílios. Desta vez, a força-tarefa de combate ao mosquito Aedes aegypti contou com um drone para fazer filmagens áreas e o reforço de 130 novos agentes recém-capacitados pela Secretaria de Saúde, além de 85 profissionais experientes que orientaram os novatos.

 

“Essa é nossa 13ª ação, em que quatro regiões estão sendo inspecionadas simultaneamente. O objetivo é irmos aos locais que tiveram casos suspeitos e comprovados de dengue e orientar à população que evite deixar água parada em casa. Uma vez que estão em suas residências por causa do coronavírus, a ideia é incentivá-los a tomar as medidas contra o Aedes”, afirmou o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues, presente na ação em Santa Maria.

 

Durante as inspeções, o gestor ressaltou a importância de os agentes de Vigilância Ambiental utilizarem máscaras e luvas, para trazer mais segurança à população devido a pandemia da Covid-19. “Em razão do coronavírus, mudamos a estratégia. Agora vamos entrar somente nas áreas periféricas da residência, como nos quintais, para reduzir o contato dos agentes com os moradores e proteger a todos”, ressaltou.

 

Foi dessa forma que ocorreu na visita realizada na residência do rodoviário Flávio Fonseca, de 55 anos, que se mantém protegido em casa devido a Covid-19. No local, os agentes de saúde aproveitaram a oportunidade para inspecionar a caixa d’água e aplicar larvicidas contra o mosquito. “Tem que combater essa praga. Mesmo com o coronavírus, temos de lembrar para também nos prevenirmos contra a dengue”, comentou.

 

Outra residência visitada foi a do aposentado Nercino Domingos, de 71 anos, que cuida para manter a área externa e os fundos da casa livre de focos da dengue. Ainda assim, agradeceu pela visita dos agentes de Vigilância Ambiental, que verificaram vasinhos de plantas, ralos e demais locais onde o mosquito poderia se instalar. “É muito bom essa visita deles. Nunca tive dengue, e espero continuar assim”, brinca.

 

A operação contou ainda com o suporte das administrações regionais e do Corpo de Bombeiros. Desta vez, a corporação atuou com carros de som, para conscientizar a população sobre a visita dos agentes e a importância de os moradores permitirem a entrada dos profissionais de saúde nas residências.

 

NOVOS PROFISSIONAIS – A vinda de mais agentes de Vigilância Ambiental para inspecionar as residências foi um reforço bem-vindo, na avaliação da chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de Santa Maria, Sueli Duarte. A região recebeu 28 novos profissionais, além de 15 vindos de outras áreas para participarem da operação deste sábado.

 

De acordo com ela, eles foram devidamente orientados para fazer as inspeções contra dengue e, ao mesmo tempo, manter uma distância segura dos moradores. Até mesmo as fichas de identificação que eram assinadas pelos moradores, com nome e endereço da residência, agora são preenchidas pelos agentes, para evitar contato. “Essas medidas impedem a proliferação do coronavírus e nos ajudam a continuar combatendo a dengue”, destacou.

 

A Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde recebeu o reforço total de 335 profissionais. Eles passaram por treinamento teórico e prático. Outros 265 agentes contratados iniciarão o treinamento e em breve estarão nas ruas.

 

DECRETO – Devido ao decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha em relação ao coronavírus, houve a necessidade de contratação dos novos agentes de saúde, que foram escolhidos por meio de um processo seletivo e passaram por treinamentos teóricos e práticos.

 

Como mais uma medida para impedir a proliferação da Covid-19 e evitar aglomerações, a concentração de agentes de saúde que, normalmente, acontecia no início das ações, tem sido realizada de forma célere em frente a apenas algumas administrações regionais. Em alguns casos, as inspeções já começam diretamente em campo, com a visita nas residências.

 

Para o secretário de Saúde, Francisco Araújo, tanto o governo como a população não podem descuidar do combate à dengue, principalmente, nesta crise do coronavírus. “Uma pessoa com dengue fica mais vulnerável a complicações se contrair o coronavírus. Portanto, mesmo não havendo relação entre uma doença e outra, é preciso evitar. A melhor maneira é prevenir a proliferação do mosquito transmissor” concluiu o gestor.

 

TRABALHO CONTÍNUO – As ações são promovidas pela Sala Distrital de Combate à Dengue e incluem a utilização de drones para verificação de terrenos com edificações fechadas ou abandonadas e, também, de helicópteros. Além da retirada de carros abandonados pelas ruas de todo o Distrito Federal.

 

Além disso, o carro do fumacê passa nas regiões administrativas todos os dias, durante a madrugada (5h30 às 9h30) e no final do dia (17h30 às 21h30).

 

CASOS – O Distrito Federal registrou 12.132 casos prováveis de dengue no último Boletim Epidemiológico. Conforme os dados da Secretaria de Saúde, em 2020, houve um aumento de 104,41% no número de casos prováveis, quando comparado ao mesmo período de 2019, quando foram registradas 5.935 ocorrências.

 

No período analisado pelo boletim atual, a quantidade de óbitos permaneceu a mesma, de um morador da Região de Saúde Centro-Sul. Outros nove ainda estão em investigação. Em comparação com o período anterior, seis mortes foram confirmadas.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde