Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/19 às 16h18 - Atualizado em 14/08/19 às 16h55

Rede PAV participa do Projeto Lidera contra violências

COMPARTILHAR

Reunião na Polícia Civil atualizou sobre a legislação de combate a agressões

 

Os profissionais da Secretaria de Saúde que integram a rede de serviços de referência para atendimento a  vítimas de violência doméstica e sexual participaram, na segunda-feira (12), de uma reunião do Projeto Lidera, organizado pela Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (Deam) do Distrito Federal.

 

Representantes da pasta que compõem a Rede de Serviços de Atenção Integral a Pessoas em Situação de Violência (PAV Flores em Rede) e atendem a vítimas de agressões sexuais, físicas, psicológicas, negligência e abandono foram atualizados sobre a legislação brasileira de combate à violência, como a Lei Maria da Penha, Lei do Feminicídio e a legislação dos crimes sexuais.

 

O conhecimento sobre a legislação para as situações de violência é  uma ferramenta importante para os profissionais que atendem as vítimas. A informação possibilita a conscientização sobre os direitos e sobre como acionar a rede para proteção e responsabilização.

 

A violência é uma situação que desafia o profissional de saúde, pois ele precisa adotar medidas terapêuticas, de cuidado em saúde e legais, diante de uma violação de direitos. “Ter o conhecimento sobre a legislação qualifica o atendimento porque dá mais segurança ao profissional de agir na proteção e interrupção do ciclo da violência”, afirmou a psicóloga e gestora da temática da violência na Secretaria de Saúde, Fernanda Falcomer.

 

A secretaria tem uma parceria importante com a Polícia Civil do DF no atendimento às  vítimas de violência.  As delegacias especializadas são pontos de apoio para as vítimas e precisam atuar de forma conjunta para garantir o acolhimento e atendimento humanizado, lembrou Falcomer.

 

O DF possui uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher que funciona 24 horas. Somente este ano, foram registrados 15 casos de feminicídio.

 

A pasta já  notificou, de janeiro a julho de 2019, 824 casos de violência física contra pessoas do sexo feminino.  As notificações são provenientes de toda a rede da Saúde,  unidades básicas,  hospitais e PAVs.

 

O Projeto Lidera – Empoderar para Multiplicar foi lançado em agosto de 2017 e tem como objetivo envolver a sociedade no combate à violência contra a mulher no DF. A proposta é formar lideranças comunitárias para auxiliar na resolução de conflitos.

 

Por meio de oficinas, a população é  capacitada para aumentar o conhecimento sobre as questões de gênero e as diferentes formas de se prevenir a violência, além de saber como ajudar as vítimas.

 

Da Agência Saúde