Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/03/15 às 15h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Regional de Saúde da Asa Sul busca melhorar utilização de recursos

COMPARTILHAR

Gestores pretendem reestruturar gastos com capacitações para ampliar o conhecimento sobre despesas e produtividade

BRASÍLIA (13/3/15) – Em um esforço para uma melhor utilização dos recursos públicos, o Núcleo de Custos da Regional de Saúde da Asa Sul realizará uma série de ações que começaram nessa semana, com uma palestra sobre a expansão da gestão de custos para os servidores. A meta é reestruturar gastos nos centros especializados, Adolescentro, bem como da atenção primária promovida pelos centros de saúde. 

A primeira estrutura piloto onde o projeto será desenvolvido é a Unidade Mista da regional de saúde. “Escolhemos começar com a Unidade Mista porque a gestão da unidade e os servidores se mostraram muito engajados para conhecer as suas despesas, além de ser um centro de grande importância para o Distrito Federal, pois é referência em atendimento às doenças infecciosas crônicas”, relatou a chefe da unidade de custos da Regional de Saúde da Asa Sul, Elenilde Ribeiro Costa. 

O coordenador de Saúde da Asa Sul, Rodolfo Alves Paulo de Souza, informou que o trabalho consistirá visitas técnicas, em cada unidade, para explicar o processo de organização e repasse de dados. A orientação será feira pela equipe do Núcleo de Controle de Custos do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), que faz parte da regional da Asa Sul e é considerado referência no país em informações de dados de custos na área hospitalar. 

Em 2014, o hospital estava entre as 16 das mais de 50 mil unidades de saúde no Brasil que conseguiram elaborar relatório detalhado de valores gastos em uma unidade de saúde e seus principais produtos.  

Outra ação será levantar os números referentes às despesas das unidades de saúde durante o ano de 2015 para que, no próximo ano, os dados organizados revelem o custo real de toda a regional. A ação ampliará o conhecimento sobre a produtividade e a efetividade das ações, tornando-se um facilitador na tomada de decisão. 

“Estamos dando mais esse passo porque estamos convivendo com uma realidade na saúde em que temos recursos escassos e uma demanda crescente, então, o gestor precisa de informações de qualidade para alocar melhor os recursos onde eles são mais necessários”, explicou.  

Segundo o coordenador, a medida também é uma resposta à crescente demanda da sociedade e dos órgãos de controle em relação prestação de contas e transparência das unidades de saúde.  

A chefe da unidade de custos da Regional de Saúde da Asa Sul disse, ainda, que os servidores serão motivados para que forneçam dados de qualidade, de forma constante e atualizada. Segundo ela, mais de 80% da informação já está informatizada na rede de saúde, o que traz maior confiabilidade ao processo.