Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/11/13 às 14h52 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Residência qualifica profissionais de medicina e enfermagem

COMPARTILHAR

Hospital do Gama conta com 63 profissionais no programa de especialização

Os programas de residência em instituições hospitalares são modalidades de ensino de pós- graduação que têm a supervisão técnica de profissionais de elevada qualificação e ética profissional. O Hospital do Gama tem o programa de residência em medicina e o de enfermagem.

A residência médica do HRG começou no final da década de 70 e cerca de 600 médicos já passaram pela especialização. Hoje a unidade conta com um total de 63 residentes distribuídos na área de clínica médica, cirurgia geral, traumatologia e ortopedia, ginecologia obstetrícia e anestesiologia. Para 2014 o hospital já está credenciado pela Comissão Nacional e Distrital de Residência no programa de ensino da terapia intensiva.

O médico Hélio Ismael da Costa que está concluindo a especialização em Traumatologia e Ortopedia, diz que está satisfeito com a qualidade das atividades práticas e teóricas. “Nesses três anos de aprendizado adquiri ótimas experiências e me sinto capacitado para trabalhar em qualquer instituição”, considerou o médico.

A coordenadora da residência médica, Marta Alves de Freitas, avalia que devido o convênio firmado entre a SES e a FACIPLAC (Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central), a Comissão de Residência Médica do HRG tem excelentes instalações “contamos com três auditórios, um centro de estudos com o acesso às bibliotecas técnicas virtuais, o que qualifica a logística para os estudos dos residentes”.

No segundo ano de residência, a médica Layse de Souza Parente informa que optou pela especialização na área de ginecologia e obstetrícia. “Tenho aprendido muito, considero meus preceptores altamente qualificados, quando terminar a especialização desejo trabalhar no HRG”, disse a médica.

“A assistência acompanhada do ensino qualifica todo o hospital para atingir um atendimento de excelência ao usuário, permitindo a implantação de serviços com alto padrão técnico científico”, considerou o cirurgião geral e Diretor do HRG, João Batista Tajra.

A residência em enfermagem

A Comissão de Residência em enfermagem (CORENF) começou em 2011 e atua nas áreas de clínica médica, unidade terapia intensiva e emergência adulta, tem 11 residentes. O processo para abertura do programa de residência em ginecologia e obstetrícia foi aprovado Comissão de Residência Médica Multiprofissional (COREMU) e pela SES, com inicio das atividades programado para 2014.

A enfermeira Sarah Tavares de Lima, em seu segundo ano de residência, relata que os conteúdos teóricos aliados à prática lhe proporcionam uma vasta experiência, “avalio que o meu aprendizado nas atividades diárias de enfermagem desenvolvidas no Hospital me possibilita ter um olhar diferente sobre a minha profissão. Sinto-me preparada para desenvolver minhas atividades com qualidade e profissionalismo”.

Para a enfermeira Jessana Adorno Soares, supervisora da comissão, o serviço é um parâmetro de qualidade na assistência, “devido ao preparo diferenciado no trabalho desenvolvido pelos residentes, o processo influencia toda a equipe, como isso ocorre à melhora na capacitação técnico-científica dos profissionais e o residente se torna um modelo de profissional dentro da instituição”, destacou a enfermeira.

Nos hospitais da rede são oferecidos programas de residência médica ou residência multiprofissional (enfermagem e nutrição), os interessados em ingressar em um desses programas passam pelo processo público organizado pela FEPECS (Fundação de Ensino e Pesquisa da Secretaria de Saúde).

Por Eliane Simeão, da Agência Saúde DF
Atendimento à Imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226