Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/09/13 às 11h34 - Atualizado em 30/10/18 às 15h07

Salário dos médicos no DF aumenta a partir deste mês

COMPARTILHAR

Lei sancionada pelo governador Agnelo Queiroz prevê reajuste de 66% em três parcelas, até 2015

 

Mais de 6,3 mil profissionais da carreira médica foram beneficiados com o projeto de lei sancionado, nessa quinta-feira (19), pelo governador Agnelo Queiroz, que concede aumento de 66% aos médicos, dividido em três parcelas, com o primeiro reajuste previsto ainda este mês.

“Esse é um dia histórico para o DF. A essência desse projeto é incentivar os servidores a permanecerem na rede pública porque toda melhora implica no crescimento permanente do padrão de atendimento”, destacou o governador Agnelo Queiroz na cerimônia de sanção do projeto na Associação Médica de Brasília.

O secretário de saúde, Rafael Barbosa, lembrou que em 2,5 anos de gestão mais de três mil servidores foram chamados para completar o quadro de funcionários no setor.


“Essa reestruturação da carreira é mais um compromisso histórico que resgata o sistema de saúde público do Distrito Federal e o profissional médico. A partir de hoje, a população tem uma perspectiva de melhora no atendimento do DF”, enfatizou Barbosa.


Com a sanção do PL nº1600/2013, os médicos passam a receber em setembro o piso de R$ 5.407,25, para jornada de 20 horas semanais, e de R$ 10.814,50, para 40 horas por semana; o salário chega R$ 14.466,39 para quem está no final de carreira.


Quando estiver totalmente implantada, em 2015, a medida elevará para R$ 6,6mil e R$ 13,2mil o piso dos profissionais com jornada de 20 horas e 40 horas, respectivamente.


As demais parcelas serão pagas em 1º de setembro de 2014 e 1º de setembro de 2015.


Confira a tabela abaixo com o novo plano de carreira, cargos e salários dos médicos do Distrito Federal:

 

Carga-horária

Valor antigo

2013 (a partir deste mês)

2014

2015

 

20h

R$ 3.949,22 (piso)

 

R$ 6.366,41 (teto)

R$ 5.407, 25 (piso)

 

R$ 7.233,19 (teto)

R$ 6.327,00 (piso)

 

R$ 7.717,87 (teto)

R$ 6.643,35 (piso)

 

R$ 8.103,77 (teto)

 

40h

R$ 7.838,57 (piso)

 

R$ 12.672,95 (teto)

R$ 10.814,50 (piso)

 

R$ 14.466,39 (teto)

R$12.654,00 (piso)

 

R$15.435,74 (teto)

R$13.286,70 (piso)

 

R$16.207,53 (teto)

 

Além disso, os padrões de progressão e promoção de cargos na carreira médica do quadro de pessoal foram simplificados, ao passar de 25 critérios para 18.


Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos do DF, Gutemberg Fialho, essa medida permitirá que os médicos cheguem ao topo da carreira de forma mais rápida.


“Esse é um marco na recuperação plena da carreira do médico e vai solucionar déficits e melhorar as condições de trabalho além de atrair ainda mais médicos para os cargos”, detalhou Fialho.


RANKING

Uma pesquisa feita pela Agência Brasília e o Sindicato dos Médicos nos 15 estados brasileiros com maior PIB (segundo dados do IBGE em 2010) apontou que, ainda este ano, com o pagamento da primeira parcela de aumento, o piso da categoria no DF se tornará o maior do país.

Agência Brasília