Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/04/14 às 14h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Santa Maria adota inovações em gestão de saúde

COMPARTILHAR

Recursos humanos, aquisição de equipamentos e novos serviços à comunidade

O Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) é o mais novo da rede pública de saúde do Distrito Federal. Inaugurado em 2008, conta com 60 leitos de UTI Adulto, 22 de UTI Pediátrica e 18 de UTI Neonatal. Nos últimos três anos, a Secretaria de Saúde (SES) destinou ao hospital, além de recursos humanos, mobiliário médico-cirúrgico e equipamentos odontológicos. Foram adquiridos monitores multiparamétricos, ventiladores pulmonares, máquinas de diálise, diversos tipos de macas, microcomputadores, dentre outros.

Neste ano, o HRSM deu início ao atendimento em Clínica Médica no Ambulatório para os pacientes classificados como verdes (pouco urgente) e azuis (não urgente) pelo Acolhimento do Pronto-Socorro. A diretora de Atenção à Saúde de Santa Maria, Josélia Nunes, comenta que os encaminhamentos desses casos para os centros de saúde continuam. Ao lado do consultório de Clínica Médica, também foi criada uma sala de medicação para os pacientes atendidos. “Montamos esse espaço para que o paciente seja atendido e imediatamente receba o tratamento prescrito pelo médico, com mais conforto”, explica a diretora. Outra iniciativa que começou em 2014 foi o programa de residência médica do HRSM em Ortopedia e Nutrição, com duração de três anos. Os residentes são remunerados e possuem carga de 60 horas semanais.

A primeira cirurgia de reconstrução de mama no HRSM ocorreu em julho de 2013. Até o momento, foram realizados quatro procedimentos, pelas equipes de Mastologia e Plástica. “Ao assumir a direção, tinha vontade de implantar a cirurgia de mastectomia com reconstrução imediata no HRSM, primeiro porque o hospital conta com um centro cirúrgico que possui seis salas e, segundo, por cumprirmos a Lei nº 12.802, sancionada pela presidente Dilma, que estabelece a cirurgia imediata reparadora para as mulheres vítimas de câncer de mama”, comenta a diretora.

No mesmo mês, o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador Sul (Cerest Sul) foi inaugurado no HRSM, que também abrange a Região Administrativa do Gama. A unidade atua com programas para o desenvolvimento de ações, com ênfase na prevenção, vigilância e promoção à saúde do trabalhador. O centro desenvolve estratégias de comunicação e elabora materiais de divulgação a fim de disponibilizar informações do perfil produtivo e epidemiológico relativos à saúde dos trabalhadores da região.

Em outubro do ano passado, a Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) foi instituída no HRSM, a qual visa a uma melhor organização no processo de captação de órgãos. “A CIHDOTT também pretende promover a identificação dos potenciais doadores e uma abordagem mais adequada de seus familiares, além de viabilizar a ampliação qualitativa e quantitativa da captação de órgãos”, acrescenta Josélia. Dentre outros avanços realizados pela atual gestão no HRSM, destaca-se a ampliação do atendimento de cardiologia e do horário de visita na maternidade, a implantação do Núcleo de Segurança do Paciente, além do sistema de dose individualizada, adotado em 80% do HRSM.

Outra inovação foi o Projeto Nana Neném e Musicoterapia na UTI Neonatal. Bebês prematuros, com menos de 37 semanas, são colocados em minirredes de algodão adaptadas dentro das incubadoras, escutam músicas clássicas e instrumentais. Essa iniciativa conta com uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos e fonoaudiólogos, com o objetivo de proporcionar mais tranquilidade e conforto ao recém-nascido. “Os bebês podem passar meses internados na UTI e recursos como a rede de algodão e a música clássica instrumental contribuem positivamente na recuperação deles. Uma simples intervenção como o posicionamento adequado, pode influenciar o desenvolvimento neuro-sensório-motor, sistema articular e musculoesquelético do bebê”, explicou o coordenador da UTI Neonatal, Wilian Barbosa. Os bebês ficam em média de 30 a 60 minutos na redinha, conforme a adaptação de cada um.

A cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) em Santa Maria aumentou em 100%, saltando de seis equipes em 2011 para 12 equipes, em 2014. Ainda nesse primeiro semestre, está prevista a inauguração de um novo Posto de Saúde Urbano (PSU), localizado na QR 217. Quanto aos recursos humanos, foram contratados sete médicos de família para as novas equipes de Saúde da Família e três clínicos gerais para os dois centros de saúde da Regional.

Localizado em Santa Maria Norte, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-ad) foi criado em setembro de 2010. Em 2012, a unidade obteve o registro no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e o cadastramento no Ministério da Saúde. Nos últimos três anos, foram de contratados um psiquiatra, um clínico e um assistente social. É o único CAPS-ad II de Brasília que oferece terceiro turno até às 22h. Outra medida foi a habilitação de seis leitos de saúde mental no HRSM.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226