Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/06/20 às 20h11 - Atualizado em 4/06/20 às 20h13

Saúde apresenta ações para enfrentar a Covid-19 em Ceilândia

Mais leitos, testagens e novas unidades estão entre as medidas programadas

 

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde

Entregar mais leitos e novas unidades de saúde à população, intensificar a testagem para Covid-19 e contratar mais profissionais para repor aqueles que estão afastados. Essas são algumas das ações planejadas pela Secretaria de Saúde como resposta ao aumento dos casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) em Ceilândia.

 

As medidas foram apresentadas pelos gestores que integram o gabinete especial montado pela pasta em Ceilândia. Nesta quinta-feira (4), eles se reuniram na Administração Regional com representantes dos conselhos de Saúde de Ceilândia e do DF, além de parlamentares e servidores, que apresentaram uma lista dos principais desafios da saúde enfrentados na região administrativa.

 

“Nós alinhamos algumas ações no hospital de Ceilândia, entre elas, a instalação de até 50 leitos no pronto-socorro com suporte respiratório. Tenham a certeza que vamos empreender todos os nossos esforços para enfrentar a situação”, declarou o secretário de Saúde, Francisco Araújo ao destacar que a instalação do gabinete na região administrativa tem como propósito acelerar essas ações.

 

Hoje mesmo alas do HRC já estão sendo separadas com esse fim, sendo isoladas para instalação de redes de gases que vão garantir suporte respiratório. Além disso, a população vai contar, também, com o suporte de um hospital que será acoplado ao HRC, fruto de uma doação da empresa JBS e que terá 73 leitos.

 

Outro suporte virá com o hospital de campanha que será construído pelo GDF, próximo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Serão 60 leitos, sendo 20 com suporte respiratório e 40 de enfermaria.

 

ATENÇÃO PRIMÁRIA – Ações voltadas à Atenção Primária, porta de entrada dos pacientes na rede pública de saúde, também foram pontuadas pelos gestores da pasta. Uma delas é organizar testagens em massa para detectar Covid-19 nas unidades básicas de saúde (UBS) de Ceilândia.

 

“A ideia é fazer cerca de três mil testes por semana. Ao final de junho conseguiríamos 12 mil testes, de dois tipos: o teste rápido e o swab, para detalhar melhor e ampliar o atendimento aos indivíduos atendidos nas UBSs, identificando aqueles que precisem de mais cuidados médicos. Isso também diminuiria a aglomeração e daria mais agilidade nas respostas”, explicou o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Luciano Agrizzi.

 

Ampliar as equipes de Atenção à Saúde da Família na Região de Saúde Oeste, onde fica Ceilândia, é outra meta para monitorar mais casos e evitar as contaminações. Nesse  sentido já está em andamento a contratação temporária de 900 profissionais de saúde, por seis meses.

 

“Para reforçar o efetivo, estudamos ainda ampliar a carga horária de mais servidores para a Região Oeste. O GDF já se comprometeu em buscar mais recursos para isso ocorrer. Além disso, já mandamos para Ceilândia 153 servidores oriundos do Iges-DF, para amenizar essa situação”, afirmou a subsecretaria de Gestão de Pessoas, Silene Almeida.

 

DADOS – De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, nesta quinta-feira (4), Ceilândia registra 1.565 casos confirmados da Covid-19, com 39 óbitos. Além disso, do dia 2 de maio até hoje já foram testadas 25 mil pessoas em Ceilândia, por meio dos drive-thrus e postos itinerantes.

 

A reunião contou com a presença dos deputados distritais, delegado Fernando Fernandes e Jorge Vianna.