Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/06/17 às 12h10 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Saúde deve iniciar a construção de seis Caps em 2018

Regiões beneficiadas serão Brazlândia, Ceilândia, Guará, Taguatinga, Gama e Recanto das Emas

BRASÍLIA (22/6/17) – Em 2018, serão iniciadas as construções de seis novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de diferentes modelos assistenciais, graças ao valor de R$4.112.000,00 destinados à Secretaria de Saúde por meio de cinco emendas parlamentares. As regiões beneficiadas com as unidades serão Brazlândia, Ceilândia, Guará, Taguatinga, Gama e Recanto das Emas.

Atualmente, segundo a diretora de Saúde Mental, Giselle Silva, a rede tem 17 Caps, além de 10.307 prontuários ativos, o que representa uma média de 607 pessoas assistidas semanalmente. Ela explica que com os recursos das emendas também será possível ampliar a cobertura dos serviços prestados à população, pois haverá mais pontos de atendimento. “Para este ano, iniciamos a execução de três emendas: a fase de vistoria dos terrenos, análise do solo, planejamento de recursos humanos, equipamentos e mobília. Essa etapa termina em dezembro.”

Os primeiros locais contemplados serão Guará e Taguatinga, com um Caps AD III; Ceilândia, onde será implantado um Caps Infantil; e o de Brazlândia, que receberá o Caps I. “As unidades do tipo I atendem as demandas de saúde mental de todas as faixas etárias. As do modelo III prestam assistência contínua aos usuários de álcool e outras drogas durante 24h por dia e disponibiliza leitos de repouso”, esclarece a gestora.

Em 2018, Recanto das Emas e Gama também receberão um Caps Infantil e um do tipo II para pacientes com transtornos mentais, respectivamente. Giselle ressalta que a construção da unidade no Gama trará muitas vantagens, pois, até o momento, a Região Sul não dispõe de locais para tratamento de pacientes com transtornos psíquicos. “Quando alguma pessoa residente no Gama ou em Santa Maria é diagnosticada com algum desses problemas, tem que recorrer ao Instituto de Saúde Mental ou qualquer outro dispositivo mais próximo”, explica.

LOCAIS – Giselle acrescenta que as construções das seis estruturas não demandarão novos alugueis da Secretaria de Saúde, pois os locais pertencem à pasta e à Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). O Caps de Brazlândia será implantado em um terreno cedido pela Administração da cidade. “Nosso objetivo é fazer tudo bem planejado, de forma a atender as necessidades da população. A previsão é que em 2018 todas as unidades estejam com as obras iniciadas.”