Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/06/13 às 22h55 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Saúde lembra Dia Nacional da Triagem Neonatal nesta quinta-feira (6)

DF é o único no Brasil a fazer Teste do Pezinho ampliado na rede pública

O Dia Nacional de Triagem Neonatal (teste do pezinho) será lembrado, nesta quinta-feira (6), pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal pelo êxito da cobertura do exame no DF, único do Brasil a oferecer o teste ampliado na rede pública, que permite o diagnóstico de 39 doenças no recém-nascido.

Segundo Juliana Thomas, coordenadora do Programa de Triagem Neonatal da SES/DF, nas maternidades e centros de saúde do DF são feitos aproximadamente 4000 exames mensalmente. De acordo com a coordenadora, todos os bebês que nascem em maternidades públicas do DF fazem o teste do pezinho, 90% até o sétimo dia de vida.

O teste, que recebe esse nome porque são colhidas gotas de sangue do calcanhar do bebê, permite detectar precocemente doenças que se não tratadas rapidamente – no primeiro mês de vida – levam ao óbito ou a danos neurológicos irreversíveis.

Até 2010 o teste do pezinho no DF detectava três tipos de doenças. Há três anos o exame foi ampliado e passou a detectar até 39 outras doenças, dentre elas, fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito, doença falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita, deficiência de G6PD, galactosemia, deficiência de biotinidase, toxoplasmose congênita e leucinose.

“São doenças que se não identificadas em tempo hábil podem levar a risco de vida ou sérias sequelas irreversíveis”, explica Juliana Thomas. De acordo com a coordenadora, sempre que um exame dá positivo o paciente é convocado para repetir, confirmar ou descartar qualquer indício de doença.

“Nossa equipe utiliza vários métodos para encontrar essas mães. Primeiramente, ligamos para o número que ela própria fornece ao realizar o exame da criança e procuramos pelo endereço”, afirma Juliana. A equipe também faz contato com a regional de saúde, em que o exame foi realizado, realiza visita domiciliar, envia cartas e caso necessário, aciona o Conselho Tutelar.

O Programa de Triagem Neonatal da Secretaria de Saúde do DF coordena a realização do exame, desde a coleta da amostra na maternidade até o atendimento dos pacientes.

Júlio Duarte