Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/06/15 às 12h29 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Saúde oferece curso direcionado ao serviço de transplantes no DF

COMPARTILHAR

Objetivo é estimular o processo de doação de órgãos em todos os hospitais da rede pública

BRASÍLIA (26/6/15) – O Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) iniciou na última quinta-feira (25), um curso de Capacitação de Formação de Enucleadores das Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTTs) da Secretaria de Saúde do DF com programação que vislumbra o aprimoramento teórico e prático dos profissionais de enfermagem.

O evento é coordenado pelo Banco de Olhos (BODF), Organização de Procura de Órgãos e Tecidos do Distrito Federal (OPO-DF) e pela Central de Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos do Distrito Federal, o trabalho busca aprimorar os conhecimentos sobre a legislação que regulamenta o Serviço de Transplantes no DF, bem como, de forma prática, treinar as equipes para o processo de manejo com órgãos, córneas e tecidos.

“Este trabalho é fundamental para alcançarmos o nosso objetivo principal que é o de estimular o processo de doação de órgãos em todos os hospitais da rede, trabalhando na capacitação dos servidores para que isso possa ser realizado efetivamente em todo o âmbito do DF. O que possibilitará a ocorrência de mais doações de órgãos e tecidos reduzindo o tempo de espera de quem precisa”, destaca a Coordenadora de Captação de Órgãos e Tecidos do Distrito Federal, Daniela Salomão.

O curso também se destaca pela relevância no processo de transformação de um potencial doador de órgãos em doador efetivo. “No meio do processo, há uma série de ações e procedimentos que devem ser verificados. No curso ensinamos a enucleação (retirada) do globo ocular de acordo com os procedimentos adequados exigidos na norma”, acrescenta a enfermeira da Organização de Procura de Olhos do DF, Viviane Marçal.

Além da legislação, os conhecimentos difundidos serão: identificação, avaliação e manutenção do potencial doador, entrevista com familiares e aspectos éticos, anatomia do globo ocular e da córnea, doenças, transplantes e avaliação das córneas, normas de Biossegurança, enucleação e coleta de sangue, estratégias do Banco de Olhos do DF e da Organização de Procura de Órgãos para promover a captação de órgãos e tecidos, preservação de tecidos oculares, transporte e armazenamento do tecido ocular humano.

O Sistema e o Programa Nacional de Transplante Brasileiro, criados em 1997, estabeleceram como deve ser organizado o processo de remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para transplante no Brasil e, atualmente, é um dos maiores programas públicos de transplantes do mundo.

O SUS oferece assistência integral ao paciente transplantado que inclui exames preparatórios, o procedimento cirúrgico, o acompanhamento do paciente e medicamentos pós-transplantes. No Brasil e no mundo, o número de doadores é insuficiente para atender à demanda crescente dos pacientes que necessitam de um transplante.

O curso tem continuidade nesta sexta-feira (26) e as palestras ocorrem até às 18 horas, no auditório do 3º andar da Unidade de Terapia Intensiva do HBDF (prédio da emergência).