Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/12/19 às 12h27 - Atualizado em 13/12/19 às 12h29

Saúde se reúne com hospitais privados para enfrentamento da dengue

COMPARTILHAR

Objetivo é melhorar as notificações e evitar óbitos no Distrito Federal

 

Mais de 20 representantes dos hospitais da rede privada de saúde participaram, nesta sexta-feira (13), de uma reunião para discutir o cenário epidemiológico do Distrito Federal. A iniciativa da Secretaria de Saúde visa a discutir o manejo clínico de pacientes e sensibilizar a rede privada para uma melhor notificação dos casos de dengue.

 

“Convocamos todos os hospitais da rede privada para que possamos trabalhar em conjunto no combate às arboviroses. Verificamos que o índice de mortalidade não aumentou só na rede pública, mas há um número elevado de pacientes na rede privada que chegaram ao óbito. Estamos fazendo um trabalho de conscientização e de atualização de manejo clínico dos pacientes para enfrentarmos a dengue no Distrito Federal”, destacou o subsecretario de Atenção Integral à Saúde, Ricardo Tavares.

 

Durante a reunião, foram discutidos o manejo clínico de pacientes com doenças associadas, como hipertensão arterial e diabetes mellitus; a importância de incorporar recursos humanos para a realização de notificação, investigação e busca ativa de casos; e um foco especial no atendimento aos idosos.

 

“Buscamos sensibilizar a rede privada de saúde para melhorar as notificações e o manejo clínico dos pacientes. Com isso esperamos favorecer a integração dos serviços públicos e privados na busca de soluções para o enfrentamento das arboviroses”, pontuou o gerente de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Fabiano Martins.

 

Os representantes dos hospitais da rede privada discutiram o atual cenário epidemiológico, receberam sugestões para promover um atendimento diferenciado aos pacientes com maior chance de evolução para óbito; e trataram das ações destinadas à integração dos trabalhos e do enfrentamento da dengue.

 

“Discutir vigilância epidemiológica é de vital importância para as instituições, tanto públicas e privadas, pois conseguimos criar planos de ações para melhor atender a população em momentos de epidemia”, ressaltou o coordenador médico da Unidade de Pronto-Atendimento do Hospital Santa Helena, Felippe Sakr Torres.

 

Nivania Ramos, da Agência Saúde

Foto: Divulgação/Saúde-DF