Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/04/14 às 21h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Saúde previne fraturas em idosos causadas por osteoporose

COMPARTILHAR

Hospital do Paranoá é o primeiro a oferecer o atendimento

Algumas particularidades são cada vez mais preponderantes na população idosa. A osteoporose é uma delas. Doença silenciosa assintomática, mas que pode ser prevenida. A Secretaria de Saúde (SES/DF) aposta em ações como o Programa de Prevenção de Refraturas (Previrefrat) para ajudar no tratamento dessa doença que, além de provocar fraturas, encolhe as vértebras e diminui a estatura. Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão preparadas para atender a demanda já acometida pela doença, mas o Hospital Regional do Pananoá (HRPa) é o primeiro da rede a participar desse programa de prevenção.

Se prestarmos mais atenção podemos observar que, a medida que envelhecemos, diminuímos a estatura. Naturalmente os hormônios regenerativos perdem forças, provocando perda de massa muscular, principalmente nas mulheres pela ausência de testosterona. As cartilagens fibrosas da coluna vertebral também perdem líquido e se achatam no decorrer dos anos. “Essas mudanças começam no período da menopausa, na mulher e andropausa, no homem; quando os hormônios iniciam uma diminuição gradual”, disse Elias Servo Rocha, ortopedista do HRPa.

Essa característica é peculiar nos idosos que são acometidos de osteoporose, pois além desse encolhimento das vértebras, apresentam fraturas e cifose. Mas essa condição não é regra em todos os idosos. “Pessoas que praticam exercícios físicos e alongamentos, fortalecem a musculatura e também estimula a fixação de cálcio. Sendo assim, quando chegam nessa fase, não apresentam sinais aparentes”, revelou o ortopedista.

Para casos como esses, a SES/DF resolveu agregar mais um aliado aos tratamentos da doença na rede pública de saúde. Lançou, em fevereiro deste ano, o Previrefrat para atender os idosos internados no HRPa e ainda reforçou a “linha de cuidado” desse paciente na regional. “Por enquanto o programa acontece aqui no hospital somente para os nossos pacientes internados, mas pretendemos abrir para a comunidade”, disse Rommel Costa, coordenador da Regional do Paranoá.

O programa tem o objetivo de identificar a osteoporose para evitar refraturas e promover um tratamento preventivo. Para isso instalou o aparelho de densitometria óssea no hospital, pois é o único método para um diagnóstico seguro da avaliação do grau da doença, capaz de indicar a probabilidade de fraturas e auxiliar no tratamento médico. “O Previrefrat veio para promover a prevenção de refratura nos idosos, identificando a doença precocemente”, disse Helenice Alves, coordenadora de Osteoporose da SES/DF.

A coordenadora acrescenta ainda que a doença não tem cura, porém pode ser controlada. “A osteoporose é tratada por uma equipe multidisciplinas, portanto o tratamento pode ser feito por ortopedista, ginecologista, endócrino ou reumatologista. Todos são porta de entrada para o tratamento”, finalizou Helenice.

Por Luana Lemes, da Agência Saúde DF