Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/03/14 às 16h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Secretarias da Saúde e da Mulher se unem na prevenção do câncer de colo de útero

COMPARTILHAR

Campanha Março Lilás e Vacinação contra o HPV

As secretarias de Saúde e da Mulher lançaram, na segunda-feira (10), a campanha Março Lilás. A iniciativa comemora o Dia Internacional da Mulher (8 de março) e tem como objetivo erradicar a mortalidade feminina por câncer de colo de útero.

O câncer de colo de útero, também chamado de cervical, é o quarto tipo de câncer que mais mata mulheres em Brasília e a segunda principal causa de óbitos no mundo. Dados da SES/DF apontam que, no ano passado, foram realizadas 142 cirurgias para tumor maligno de colo de útero. Dos pacientes diagnosticados com a doença, 88 fizeram radioterapia, 153 passaram por quimioterapia na rede pública de saúde e 70 mulheres residentes no DF foram a óbito.

O câncer de colo de útero se desenvolve a partir de alterações no colo do útero, que se localiza no fundo da vagina. Essas alterações são chamadas de lesões precursoras e são curáveis na maioria das vezes. Se não tratadas podem, após alguns anos, se transformar em câncer. Dentre os riscos que favorecem o aparecimento dessa doença, está o HPV.

Vacinação contra HPV

As doses da vacina contra o papiloma vírus (HPV) são oferecidas gratuitamente, desde o dia 10 de março, nas escolas públicas e particulares. A meta é imunizar 80% da população alvo, que no DF representa 64.882 estudantes de nove a 13 anos.

“A vacinação começa aos nove anos, pois é a idade em que a menina tem maior capacidade de produzir a resistência ao vírus”, disse o secretário-adjunto de Saúde, Elias Fernando Miziara.

Para garantir a efetividade da vacina, é necessária a aplicação de três doses, com intervalo de 60 e 180 dias após a primeira dose. O calendário de vacinação foi organizado de acordo com o calendário escolar, das escolas públicas e privadas.

A administração da segunda dose será no mês de maio, e a da terceira no mês de setembro. As meninas que não comparecerem à escola no dia agendado para vacinação, serão encaminhadas para as Unidades de Saúde de referência conforme a orientação da equipe de saúde.

Neste ano, as vacinas foram fornecidas pelo Ministério da Saúde (em 2013 foram custeadas pela SES-DF) e são as mesmas utilizadas no ano passado, a quadrivalente, que confere proteção contra HPV 6, 11, 16 e 18. Outra vacina contra HPV foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina bivalente, que confere proteção contra HPV 16 e 18. As duas vacinas estão comercialmente disponíveis em clínicas privadas.

Em 2013, a cobertura vacinal da primeira dose atingiu 93,90%, a segunda alcançou 94,15% e a terceira e última etapa (até o dia 20 de dezembro de 2013) 88,87%. A meta foi a vacinação de 62.854 estudantes. “A campanha de vacinação contra o HPV em 2013 foi um sucesso. O modelo serviu de parâmetro para o Ministério da Saúde adotar em todo o país”, comentou o secretário-adjunto.

Março Lilás

O público-alvo da campanha são mulheres com faixa etária entre 25 a 64 anos, que tem ou teve vida sexual ativa, seja qual for o parceiro. Aquelas que nunca fizeram os diagnósticos ou realizaram há mais de três anos, também podem procurar a Carreta da Mulher ou uma unidade básica de saúde mais próxima. Mais informações no endereço http://www.carretadamulherdf.com.br/

Vale lembrar que, a partir deste ano, é preciso agendar previamente os exames nas unidades de saúde básica das regiões em que as carretas estão estacionadas.

“Essa é uma determinação de governo para investirmos, cada vez mais, na saúde preventiva, exatamente porque entendemos que nos anteciparmos à doença garante qualidade de vida às mulheres e às pessoas de uma forma geral”, afirmou a secretária da Mulher, Olgamir Amancia.