Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/05/19 às 19h02 - Atualizado em 27/05/19 às 11h37

Secretário de Saúde visita agrofloresta da UBS 1 do Lago Norte

 

 

Intenção é levar a proposta para outras unidades básicas

 

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, visitou a agrofloresta medicinal da Unidade Básica de Saúde 1 do Lago Norte, na tarde desta quinta-feira (23). Depois de andar entre as plantas e conhecer o projeto de perto, o gestor saiu animado e disposto a levar a ideia para outros locais da rede.

 

“É mostrando ideias boas como esta que multiplicamos o que é bom na rede. Pretendemos expandir para outras unidades básicas de saúde e dar total apoio”, disse Okumoto.

 

A visita à unidade começou com uma rodada de experimentação de aromas de óleos essenciais, muitos deles possíveis de serem produzidos com as plantas cultivadas na agrofloresta. E, de fato, esta é a ideia do médico Marcos Trajano, responsável pelo local. “Pretendemos começar a extrair estes óleos aqui e com a ajuda dos núcleos de farmácia viva”, disse.

 

O espaço ainda está em construção. “Aqui era um campo de produção de doença, tinha muito entulho e as árvores frutíferas atraiam mosquito da dengue. Conseguimos limpar e queremos fazer a poda correta dessas plantas”, informou Trajano. Ele disse, ainda, que para cada árvore cortada serão plantadas outras 10 nativas na orla do Lago Paranoá.

 

AMBIENTE – A agrofloresta começou a ser implantada há nove meses. Desde então, cerca de 400 visitas já foram feitas e as mãos da comunidade foram importantes na organização do espaço.

 

Até o momento, são 200 metros de canteiros plantados, com potencial para cultivar um espaço de três quilômetros. Um exemplo de espécies que já estão no local são as plantas alimentícias não convencionais (Pancs), utilizadas na terapia nutricional. A equipe da UBS 1 está produzindo plantas aromáticas e medicinais, já utilizadas no dia a dia da unidade.

 

 

Segundo Trajano, a intenção é que o projeto promova, além da saúde física, o desenvolvimento pleno do ser humano. Por isso, também contempla a introdução de algumas Práticas Integrativas de Saúde (PIS), como Yoga e Tai Chi Chuan, além do Jardim Sensorial, com espécies aromáticas e ornamentais.

 

Outro ponto positivo são as oficinas, oferecidas à comunidade todas as quintas-feiras. A mais recente ensinou sobre o manejo da agrofloresta medicinal.

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Mariana Raphael/ Saúde-DF

 

 

Secretário de Saúde visita agrofloresta da UBS 1 do Lago Norte