Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/05/15 às 16h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Saúde promove Semana de Enfrentamento à Violência Sexual

Ações nas regionais de saúde promovem a cultura de paz e a não-violência

BRASÍLIA (22/5/15) – “Sou protegida! Digo Não à Violência!” é o tema da campanha de prevenção à violência, desenvolvida pelo Núcleo de Estudos e Programas na Atenção e Vigilância em Violência (Nepav), da Secretaria de Saúde do DF, durante o mês de maio, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, celebrado em 18 de maio.

Durante todo o mês, os Programas de Pesquisa, Assistência e Vigilância em Violência (PAVs) das regionais de saúde do DF desenvolvem atividades voltadas para a prevenção e atendimento à violência contra a criança e o adolescente, além de orientar a população sobre onde buscar ajuda e aos profissionais de saúde sobre seu papel como agentes protetores dos indivíduos vulneráveis à violência.

As programações contam com palestras, capacitações e mobilizações nas emergências, unidades básicas de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e na Rede de proteção do DF. “O objetivo da campanha é o fortalecimento para o acolhimento, atendimento imediato e especializado, notificação e realização da profilaxia nas situações de violência sexual, mas também a orientação da população sobre os tipos de violência e sobre onde buscar a apoio” informa a chefe do Nepav, Lucy Mary.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação da SES/DF (Sinan/DF) apresentam que em 2014 foram registradas pela rede de saúde do DF 2.497 notificações de violência. Os casos de violência sexual contra crianças e adolescentes somam 513 casos. A faixa etária de maior incidência é de 10 a 14 anos.

REDE ESPREANÇA – O DF conta com uma Rede de Serviços de Atenção Integral à Saúde de Pessoas em situação de violência – Rede Esperança. Esta Rede é composta pelos Programas de Pesquisa, Assistência e Vigilância em Violência (PAVs), que estão localizados em todas as regionais de saúde. Estes programas realizam atendimento a pessoas em situação de violência de toda faixa etária.

Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes
No dia 18 de maio de 1973 uma menina de 8 anos foi seqüestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espírito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. O caso içou conhecido como “Caso Araceli”.