Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/06/19 às 8h55 - Atualizado em 13/06/19 às 8h55

Serviço de Verificação de Óbitos atendeu mais de 500 chamados em 5 meses

Também fez 465 remoções e 131 necropsias desde janeiro deste ano

 

Em cinco meses de atividade, o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) da Secretaria de Saúde fez 465 remoções e 131 necropsias, além de cerca de 500 atendimentos a famílias. O serviço, implementado em janeiro deste ano, é responsável pelas remoções de cadáveres, em residências e vias públicas, em decorrência de morte natural. Antes disso, o trabalho era feito pela Polícia Civil.

 

“Os primeiros cinco meses foram de muita garra, pois estamos formando o serviço. Todos se empenharam com o seu melhor e ainda com carga horária adicional por meio de Trabalho em Período Definido (TPD). Contamos, também, com outros funcionários técnicos e auxiliares operacionais de serviços diversos (AOSD anatomia), principalmente dos hospitais de Taguatinga, Santa Maria e Gama, para compor a equipe”, ressalta a chefe do serviço, Áurea Cherulli.

 

Em dezembro de 2018, foi assinado um termo de ajustamento de conduta onde o Instituto Médico Legal (IML) não mais se responsabilizaria pelas remoções, ficando a Secretaria de Saúde responsável por esta missão. “No início deste ano, nossa equipe cresceu, com a chegada de técnicos, motoristas e AOSD. Em 2018, contávamos com um total de dez profissionais. Neste ano, crescemos para 27”, comemora Áurea.

 

O serviço funciona 24 horas para remoções e, até às 19h, para atendimentos e necropsias. Em seus cinco meses de funcionamento, o carro de remoção já rodou cerca de 30 mil km.

 

COMO FUNCIONA – O contato para informar sobre o óbito deve ser feito à Polícia Civil. O boletim de ocorrência é registrado nas delegacias vinculadas, que avaliarão cada caso, comunicando ao SVO os óbitos de causa natural, e ao IML as mortes de causa violenta ou suspeita.

 

As equipes são compostas por técnico de laboratório, médico, motorista e servidor administrativo. Os trabalhos internos ficam centralizados no Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

 

SAIBA MAIS – Existem três tipos de serviços que investigam causas de óbitos: o IML, os serviços de Anatomia Patológica dos hospitais regionais e o Serviço de Verificação de Óbitos. Cada um realiza um tipo de investigação.

 

O IML apura casos decorrentes de causas violentas, suspeitas ou que envolvam investigação policial. O serviço de Anatomia Patológica verifica casos de pacientes internados há 48 horas ou mais sem esclarecimento da causa mortis ou sem diagnóstico definido da causa do óbito. O SVO, por sua vez, investiga casos de morte natural, que ocorram sem definição da causa da doença.

 

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Arte: Rafael Ottoni/Saúde-DF