Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/02/19 às 9h31 - Atualizado em 14/02/19 às 10h31

Servidoras de Planaltina recebem incentivo para amamentação

 

 

Brenda, 31 anos, é mãe de Benício, de 8 meses de idade. O bebê é intolerante à lactose e só pode tomar leite humano. Brenda, técnica em enfermagem do Pronto Socorro de Planaltina, precisa deixar o seu leite para Benício, já que ela mora em Planaltina de Goiás.

 

Para ela, ter uma sala adequada no hospital que facilite a coleta do leite, durante o expediente, é fundamental para alimentação de bebê. “A gente trabalha em um lugar insalubre e não dá para coletar o leite em qualquer lugar. Poder contar com um espaço limpo, silencioso, tranquilo, faz toda a diferença”, explicou.

 

 

A Sala de Apoio à Mulher Trabalhadora que Amamenta, do Hospital Regional de Planaltina (HRPL), foi inaugurada no mês de dezembro. O espaço dispõe de freezer para guardar o leite coletado, armário e vidros esterilizados, além de poltronas confortáveis e muita higiene.

 

INCENTIVO – Idealizadora do espaço, a enfermeira Maria do Socorro Nunes Aguiar contou que esse era um sonho antigo, só possível de realizar depois de o pronto-socorro ser transferido para a pronto-clínica. “Reivindicamos e conseguimos esse espaço, contamos com doações e colaboração de muitas pessoas para deixar a sala como está”, disse Socorro.

 

Além das trabalhadoras poderem coletar e guardar o seu leite para levar para casa, elas também doam o excedente e usam a sala paraamamentar, quando é possível levar os bebês até o hospital.

 

“Essa é uma forma de incentivar o aleitamento materno das nossas mães trabalhadoras. Já temos um banco de leite e incentivamos as mães da nossa comunidade, mas é preciso dar condições para as nossas servidoras amamentarem também”, explicou a enfermeira, que relatou a dificuldade que vivenciou quando teve seus filhos. “As pacientes já tinham a sala de apoio. As trabalhadoras não”.

 

A mamãe Brenda é uma das que mais utiliza o espaço e leva para casa, em média meio litro de leite por dia. “Sempre sonhei em amamentar. Quando tive o meu primeiro filho não consegui. Agora, o Benício vai mamar o tempo que ele quiser”, afirmou, enquanto seu bebê aproveitava para fazer o lanche da manhã.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

 

Servidoras de Planaltina recebem incentivo para a amamentação