Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/12/19 às 13h04 - Atualizado em 16/12/19 às 16h00

Servidores apresentam projetos realizados na Região de Saúde Sudoeste

Evento teve apresentações da Atenção Primária, Secundária e hospitais

 

Mostrar e inspirar os colegas com os projetos desenvolvidos durante o ano de 2019. Este foi o objetivo do I Workshop da Região de Saúde Sudoeste com mostra de serviços. Dos hospitais regionais de Samambaia e de Taguatinga foram selecionados os projetos Paciente Seguro e Lean nas Emergências. Da Atenção Primária, o projeto mais novo da região, o Planifica SUS, e da Secundária, o trabalho realizado pelo Centro Especializado em Reabilitação.

 

A secretária-adjunta de Saúde, Lucilene Florêncio, prestigiou o evento e deixou palavras de incentivo e reconhecimento aos esforços dos servidores. “Continuem, porque vocês estão no caminho correto. Olhem para trás, vejam o caminho que vocês já percorreram, o que já melhorou para a população”, recomendou a gestora.

 

Ela ainda pediu aos presentes para se manterem otimistas. “Vocês são formadores de opinião. Então, estejam sempre animados, motivados para liderar suas equipes”, sugeriu.

 

A primeira experiência apresentada foi o projeto Lean nas Emergências, implantado no Pronto-socorro do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Os resultados obtidos em um ano mostram a eficiência das estratégias de otimização do tempo, do espaço e dos recursos disponíveis na unidade.

 

“Saímos de 150 pacientes para 70, 80 internados no Pronto-socorro. Este é um lugar de passagem, de primeiro atendimento e todas as equipes do hospital entenderam isso e estão trabalhando neste sentido. Por isso, estamos colhendo resultados positivos”, analisou a gerente do projeto, Juliana Leão.

 

A Emergência do HRT atende, em média, 530 pacientes por dia. O setor registrou, em outubro, mais de 17 mil atendimentos no PS.

 

AVALIAÇÃO – Da plateia, o médico emergencista do HRT, Markus Vinícius, assistiu às apresentações e fez o seu destaque. “Hoje, ficamos todos orgulhosos de tudo o que fizemos desde o início do projeto, no ano passado. Foi apresentado um número real e feliz, a redução de óbitos no HRT em 53%. Dentre todos, este dado é o que mais me chamou a atenção”, avaliou o servidor.

 

Já o Hospital Regional de Samambaia mostrou como está avançando a implantação do projeto Paciente Seguro. A unidade está realizando o diagnóstico da estrutura e dos processos hospitalares para a construção de um plano de ação com vistas ao melhor desempenho dos fluxos e processos visando à segurança do paciente.

 

Do HRSam também foi apresentada a implantação das Práticas Integrativas em Saúde (PIS). Para o superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Luciano Agrizzi, as PIS estão mostrando bons resultados. “Já percebemos uma diminuição no número de licenças médicas apresentadas pelos servidores desde que as práticas foram implementadas”, relata o gestor.

 

ATENÇÃO ESPECIALIZADA – A atenção especializada, ou secundária, é responsável pelos atendimentos ambulatorial, laboratórios, policlínica e o Centro Especializado em Reabilitação Física (CER) e Intelectual.

 

Como até mesmo entre os servidores o trabalho desenvolvido pelo CER é pouco conhecido, foi realizada uma apresentação sobre esta unidade. Os presentes ao seminário puderam entender que tipo de paciente pode ser encaminhado ao local e que tipo de atendimento é prestado.

 

Resumidamente, o espaço oferece reabilitações neurológicas para adultos em casos de acidente vascular encefálico, traumatismos, lesões de nervos periféricos, deficiência intelectual; reabilitações físicas para deformidades congênitas ou adquiridas, pós-operatório ortopédico e neurológico, fraturas reabilitáveis; e reabilitação pediátrica para crianças com até 12 anos e 11 meses com deficiências, doenças raras, transtorno do espectro autista, entre outros.

 

ATENÇÃO PRIMÁRIA – Um dos maiores desafios e dos mais novos projetos implementados na região, o Planifica SUS dá os primeiros passos para a planificação das ações de saúde, integrando as unidades básicas de saúde (UBS) ao atendimento especializado.

 

“A Atenção Primária deve se tornar a ordenadora da rede de atenção à saúde, a ordenadora dos fluxos dentro dos sistemas clínicos”, esclarece a diretora substituta, Nadine Gomes, mostrando o grande desafio em implementar esse planejamento, que está sendo construído.

 

WORKSHOP – Como expectadora do evento, a gerente da UBS 7 de Taguatinga, Damaura Santiago, foi só elogios ao workshop. “Quero agradecer e parabenizar o doutor Luciano e sua equipe pelo carinho e cuidado que disponibilizou à sua grande equipe no dia de hoje. Eu me senti acolhida e tenho orgulho em participar dessa grande família da Região Sudoeste”, afirmou a gerente.

 

Josiane Cantele, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF