Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/03/19 às 15h33 - Atualizado em 22/03/19 às 16h32

Telessaúde atenderá nova especialidade na próxima semana

Informações sobre o projeto foram apresentadas aos novos gestores da Saúde

 

 

Servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal que atuam na Atenção Primária, Secundária e Terciária participaram, nesta sexta-feira (22), de uma reunião sobre o processo de implementação do Núcleo de Telessaúde. A ferramenta facilita o contato entre os profissionais da Atenção Primária com os especialistas, auxilia no diagnóstico e possibilita o acesso mais rápido ao tratamento.

 

Informações sobre o projeto foram apresentadas aos novos gestores da pasta, bem como os avanços da iniciativa, que, na próxima semana, trabalhará também com a especialidade de Neurologia em todas as regiões de saúde. Desde o ano passado, o Telessaúde atuava no Distrito Federal apenas nas áreas de Cardiologia e Endocrinologia.

 

Segundo o palestrante e coordenador do Núcleo de Telessaúde no DF, Rodrigo Wilson de Souza, o atendimento em Neurologia começou a funcionar, como piloto, este ano, na Região de Saúde Sudoeste, que engloba Taguatinga, Vicente Pires, Recanto das Emas e Samambaia. A previsão é de que uma quarta especialidade também seja acrescentada aos serviços, mas ainda está em discussão com a Secretaria de Saúde.

 

“Estamos em um momento que vamos gerar uma nova especialidade no DF. A partir da semana que vem, começaremos a fazer a regulação da Neurologia adulta. Esse é um momento oportuno para fazer a divulgação e o resgate do projeto para os novos gestores, e apresentar os dados parciais, uma vez que começou em 2018”, informou o coordenador.

 

INFORMAÇÕES – Desde o início do projeto-piloto até o momento, já foram realizadas 19.806 avaliações de regulação no DF. Além disso, no trabalho de campo da equipe do Telessaúde, foram feitos 52 contatos de engajamento por telefone com gerentes e enfermeiros de Unidades Básicas de Saúde (UBS), com a visita pessoal em 21 unidades de saúde. Ao todo, 142 equipes de Estratégia Saúde da Família foram abordadas durante as visitas.

 

Outro ponto destacado por Rodrigo Wilson é a possibilidade de o Núcleo de Telessaúde no Distrito Federal ter uma base na sede da Secretaria de Saúde. “A expectativa é que, entre o final de abril e início de maio, já tenhamos um espaço dentro da pasta”, previu.

 

ENGAJAMENTO – De acordo com o coordenador do núcleo no DF, um dos grandes objetivos da reunião é promover o engajamento dos gestores no projeto, “para que divulguem a ferramenta nas regiões de saúde e criem estratégias para aumentar a participação dos médicos de família e equipes no Telessaúde”.

 

Isso é necessário porque, das 19.806 avaliações de regulação realizadas no DF, constatou-se que apenas 20% dos encaminhamentos feitos pelos médicos foram aprovados de primeira vez. O maior empecilho tem sido a falta de informação detalhada nos encaminhamentos feitos pelos profissionais de saúde aos especialistas teleconsultores.

 

“Quando se colocam diretores da Atenção Primária, Secundária e de hospitais em uma mesma sala, é para que todos estejam no mesmo passo. A regulação é uma etapa importante para atenção ambulatorial e especializada. Então, trazer gestores novos é necessário para ajustarmos isso”, explica Eliene Sousa, coordenadora de Atenção Secundária e Serviços Integrados da Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde.

 

PROJETO – O Telessaúde faz parte do projeto Regula Mais Brasil, desenvolvido pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), em parceria com o Hospital Sírio Libanês e o Ministério da Saúde.

 

Basicamente, o projeto oferece suporte aos profissionais da Atenção Primária, com a possibilidade de médicos de família e comunidade ligarem para teleconsultores e tirarem suas dúvidas durante o atendimento. Com isso, é possível evitar encaminhamentos desnecessários de pacientes para o nível secundário de atenção.

 

“O grande impacto do projeto é para o usuário, que vai ter o problema dele resolvido, seja pelo especialista, seja pelo médico de família na UBS onde ele é atendido”, ressaltou o coordenador do Núcleo de Telessaúde no DF.

 

O serviço de telemedicina funciona em Porto Alegre, Belo Horizonte e Distrito Federal. Em janeiro, um canal de telecomunicação para o projeto foi aberto, no telefone 0800 644 6543. No momento, a previsão é de que o sistema comece a funcionar em mais duas capitais ainda em 2019.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

 

Telessaúde atenderá nova especialidade na próxima semana