Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/06/20 às 11h00 - Atualizado em 6/06/20 às 11h06

Teste do pezinho realizado pela Secretaria de Saúde do DF é referência nacional

Exame ofertado pela Pasta consegue detectar até 30 doenças em recém-nascidos

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde

No dia 6 de junho foi celebrado o Dia Nacional do Teste do Pezinho. Atualmente, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal é referência nacional, já que o exame realizado na rede detecta 30 doenças, número bem superior aos testes de pezinho realizados em outros estados e até mesmo, na rede privada.

 

“O teste do pezinho é muito importante, pois é capaz de detectar precocemente, antes que qualquer sintoma apareça, doenças que podem ser muito graves e que são tratáveis”, observa a Referência Técnica Distrital em Triagem Neonatal, Juliana de Vasconcellos Thomas.

 

O teste do pezinho ofertado pela Secretaria de Saúde detecta 30 doenças diferentes: fenilcetonuria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita, deficiência de biotinidase, galactosemia, deficiência de G6PD, toxoplasmose congênita e outros 21 erros inatos do metabolismo.

 

“O exame é realizado a partir de 24 horas de vida, na maternidade, antes da alta hospitalar. Se a criança não nasceu nas nossas maternidades públicas, ou seja, não fez antes da alta hospitalar, pode procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para realizá-lo”, explica.

 

A coleta do sangue para o exame acontece, geralmente, com 48 horas de vida do recém-nascido e o ideal é que o teste do pezinho seja feito até o 5º dia de vida.

 

O resultado do teste do pezinho sai em até dez dias após a chegada da amostra em laboratório. Em caso de alteração, o laboratório telefona para os responsáveis para agendar uma nova coleta ou uma consulta.