Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/04/13 às 20h11 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Teste rápido acelera o diagnóstico de dengue no DF

Resultado em poucos minutos agiliza tratamento 

Ajudar no diagnóstico clínico e avançar na assistência aos pacientes com dengue. Foi pensando nessas duas situações que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) iniciou a implantação do teste rápido da doença em toda a rede de saúde. O resultado passou a ser conhecido em poucos minutos, o que ajuda tanto no diagnóstico médico quanto na orientação aos pacientes.

“No exame antigo o diagnóstico só era detectável a partir de sete dias. Mesmo que se fizesse o teste antes disso, o resultado seria negativo. Com o teste rápido, a confirmação (positiva ou negativa) sai em pouco mais de dez minutos. O médico que antes atendia apenas com a abordagem sindrômica (quadro clínico), agora tem a vantagem de tratar um paciente já com o diagnóstico confirmado”, explica o Dr. Dalcy de Albuquerque, chefe do Núcleo de Controle de Endemias da SES.

Com a implantação do novo mecanismo, o número de casos confirmados de dengue tem aumentado consideravelmente. Até o dia 26 de março, foram notificados 3.384 casos suspeitos e deste total 1.296 foram confirmados. Comparado com o mesmo período de 2012, onde foram confirmados apenas 287 casos de dengue, houve um aumento de 351,6%. Tais números comprovam a efetividade do teste, e a tendência é que eles continuem em alta daqui em diante, como ressalta o Dr. Dalcy.

“Antes o paciente atendido precisava voltar após sete dias para colher o exame, mas a grande maioria não retornava, justamente por já estar curado da doença. Agora não, o resultado é imediato. Por isso o número de casos confirmados vai crescer brutalmente de agora em diante. Não é que aumentou a dengue no DF. A cobertura é que ficou mais efetiva. Os casos que antes eram apenas notificados, agora são confirmados ou descartados na hora”, afirma.

Para o Dr. Dalcy de Albuquerque, mesmo que a nova tecnologia esteja impulsionando os números de casos de dengue no DF, a saúde pública do Distrito Federal deu um importante passo com a implantação do teste rápido. “Apesar de o teste aumentar o número de casos confirmados da doença, o que pode assustar muitas pessoas, isso significa um avanço significativo na assistência. Os médicos passam a estar mais preparados, sabendo exatamente do que estão tratando. Os pacientes também passarão a se prevenir mais. Não podemos deixar de lembrar que hoje, cerca 90% dos focos de dengue são encontrados dentro das próprias residências. Portanto a população precisa fazer a parte dela”, conclui.

Hugo Mendes