Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/21 às 15h38 - Atualizado em 22/03/21 às 19h16

Uma vida dedicada ao trabalho e à família

COMPARTILHAR

Raquel Bevilaqua é a superintendente da Região Leste e diz que seu objetivo é deixar um legado em sua gestão

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Dentre as sete superintendências de saúde do Distrito Federal, quatro delas são comandadas por mulheres. Raquel Bevilaqua é endocrinologista e é a responsável pela Região de Saúde Leste que compreende as cidades do Paranoá, Itapoã, Jardim Botânico, São Sebastião e Jardins Mangueiral.

 

A médica conta que o trabalho de superintendente é árduo e de grande dedicação. Envolve liderar uma grande equipe com muitas particularidades, tentando sempre motivá-los a trabalhar em conjunto e com empenho, fazer a diferença, colocando sempre a necessidade da população no centro de suas decisões.

 

Raquel comanda a Região Leste, formada por Paranoá, São Sebastião, Jardim Botânico, Itapoã e Jardins Mangueiral – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

“Me sinto muito feliz e grata em ter essa missão de gestora pública no meu caminho. Tenho 14 anos como servidora pública e nove de gestão pública. Amo o que faço. Gosto de trabalhar como gestora e tento deixar um legado. Assim, independente do gestor que assuma, a casa estará organizada e o poder público conta com alguém que entende o que levou a determinada decisão e pode guiar novos direcionamentos”, afirma.

 

Além do trabalho de superintendente, Raquel divide sua rotina com a família. Ela é casada e tem um casal de filhos (Felipe, de 9 anos e Catarina, de 6 anos) e se considera uma mãe super coruja e participativa na rotina dos filhos. “Amo ser mãe”.

 

A médica informa que seus filhos e seu marido sentem muito orgulho do trabalho que ela faz diariamente e que os três são seus maiores incentivadores e motivadores. “Temos o hábito de todos os dias contar como foi o dia, o que fizemos, eles contam com detalhes sobre a rotina da escola e querem saber com detalhes como foi meu dia”, revela.

 

A Região Leste tem a maior taxa de cobertura de Atenção Primária do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Para Raquel, ser mulher é ser mais forte do que os olhos podem ver. É ter um coração imenso e nele, lugar para todos os sonhos do mundo. “Ser mãe, ser esposa, ter uma família maravilhosa e fruto do seu trabalho, ter também na vida profissional, um imenso prazer fazendo aquilo que se ama e tendo o reconhecimento do seu papel pelos seus resultados”, avalia.

 

Região Leste

 

Para ajudar na gestão da superintendência, Raquel conta com um time de mulheres que considera seus braços direitos. São elas: Fernanda Goulart, chefe do Núcleo de Gestão da Internação do Hospital; Michelle Andressa, assessora da superintendência; Vanderleia, gerente de Serviços Ambulatoriais; Veronica Lobo, gerente de Atenção Primária; e Vanessa, chefe da assessoria de planejamento.

 

“São todas mulheres, com família e filhos e que se dedicam intensamente ao trabalho que fazemos na Região Leste. São as extensões dos meus braços direito e esquerdo na superintendência, fazendo importantes setores operarem da melhor forma, de modo a garantirmos o melhor serviço prestado ao nosso usuário”, ressalta. De acordo com Raquel, todas elas são importante apoio técnico e logístico na tomada de decisões e operacionalização do planejamento na região.

 

A Região Leste apresentou no ano de 2020 os melhores resultados no monitoramento dos indicadores pela Secretaria de Saúde, no Acordo de Gestão Regional. Segundo Raquel, a Região Leste tem a maior taxa de cobertura de Atenção Primária, os melhores indicadores da Rede de Urgência e Emergência, 100% do atendimento ambulatorial regulado. Além disso, há o projeto em curso de ampliação da parte assistencial do Hospital da Região Leste, e um centro de referência nacional no atendimento ao paciente diabético e hipertenso.

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: