Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/11/16 às 16h03 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Unidade de queimados do Hran recebe elogio público

COMPARTILHAR

Paciente agradece cuidados e técnicas inovadoras utilizada pela equipe

BRASÍLIA (16/11/16) – Cinquenta e nove dias. Foi esse o tempo que o engenheiro Allan Versan, 26 anos, ficou internado na Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), após um acidente de carro, na divisa entre Goiás e DF, em março de 2015. O veículo explodiu e o jovem acabou com cerca de 20% do corpo queimado, principalmente a face.

Um ano após o ocorrido, um agradecimento público feito pela mãe do jovem, em uma rede social, mostrou um dos porquês de a Unidade de Queimados do Hran ser referência na região Centro-Oeste. Na postagem, Dinamara Versan agradece à toda equipe do hospital pelo trabalho desenvolvido na recuperação do filho.

“Queremos agradecer, em especial, o hospital HRAN, em nome da equipe médica, enfermeiros e demais auxiliares do Dr. José Adorno e Dr. Ricardo de Lauro pelos cuidados oferecidos na internação do 3º andar da ala de queimaduras, pela dedicação e força ao paciente”, dizia a mãe.

Recuperado do trauma e ainda em tratamento das sequelas da queimadura, Allan Versan, que mora em Goiânia, avalia o atendimento na unidade como muito bom. “Pude desfrutar de tratamentos como o curativo a vácuo e o enxerto de dérmica, que até onde pesquisei, são tratamentos caríssimos e não disponibilizados pelo SUS nos hospitais de Goiânia”, diz o jovem.

“Não é raro o agradecimento de pacientes de queimadura, mas receber elogio publicamente encoraja a equipe, que se sente muito agradecida”, relata José Adorno, um dos citados no agradecimento.

Em casos de queimaduras, as sequelas são inevitáveis. Em alguns casos, é preciso fazer várias cirurgias, algumas delas complexas. “No caso do Allan, as pessoas se surpreenderam com a positividade dele, em não querer se esconder. A vida dele já voltou ao normal. Ele apenas usa uma proteção branca para não expor as queimaduras ao sol”, diz o cirurgião plástico que cuidou do caso de Allan, o médico Ricardo Delauro.

REFERÊNCIA – O HRAN atende em média 250 pacientes, anualmente, na Unidade de Queimados. O setor é referência no tratamento para a região Centro-Oeste.

A estrutura funciona com equipe multidisciplinar composta por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionistas, entre outros profissionais. Além disso, são utilizadas diversas tecnologias, como o curativo a vácuo, que consiste em um novo método que faz pressão negativa sobre o ferimento para que feche mais rápido.

O terceiro andar do Hran conta com 16 leitos de internação. “Internamos grandes queimados, sendo adultos com 20% do corpo queimado e crianças com 10%. Também ficam internados os queimados com agentes químicos, queimadura elétrica e queimaduras nas genitálias, explica José Adorno.

Pelo ambulatório passam cerca de 250 pacientes por semana, entre novos casos e pacientes em tratamento de sequelas. A agenda é aberta, ou seja, sem necessidade de marcação de consulta.

Cerca de 45% dos acidentes de queimadura são com crianças. A maior parte deles por acidente doméstico, com líquidos quentes e uso indevido de álcool.