Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/05/16 às 21h50 - Atualizado em 30/10/18 às 15h14

Unidades de Atenção à Dengue encerram suas atividades

Com a queda de casos, tendas de São Sebastião e Brazlândia são desmontadas

BRASÍLIA (13/5/16) – As Unidades de Atenção à Dengue (UADs) que estavam em funcionamento provisoriamente em Brazlândia e São Sebastião encerraram suas atividades nesta sexta-feira (13). A previsão inicial era de que cada uma delas funcionasse por 45 dias, mas ambas estenderam este prazo.

O encerramento se deve à redução do número de casos de dengue e, consequentemente, a queda da procura por atendimento nas UADs. “Quando abrimos a tenda, em 19 de fevereiro, a procura era de cerca de 100 pessoas. Nestes últimos dias, caiu para quase 40”, observa a coordenadora de Ações de Vigilância em Saúde da Região Leste de Saúde, Beatriz Ruy.

Com o fechamento, a população poderá procurar atendimento nos centros de saúde, postos de saúde da família e nas Unidades de Pronto Atendimento da região de moradia.

NÚMEROS – A Unidade de Atenção à Dengue (UAD) de Brazlândia foi a primeira a ser aberta, em 11 de fevereiro. Durante os três meses de atuação, foram feitos 11.085 atendimentos, 9.145 exames de sangue e 4.903 testes rápidos. Desse total, 2.048 foram positivos.

A tenda de São Sebastião foi aberta na semana seguinte, em 19 de fevereiro, ficando em funcionamento por 78 dias. Nesse período, foram feitos 11.303 atendimentos, com 2,2 mil testes rápidos. Desse total, 951 exames deram positivo.

BOLETIM – Segundo dados do último Informativo Epidemiológico,  divulgado pela Secretaria de Saúde na quarta-feira (11), Brazlândia teve 1.880 casos de dengue e São Sebastião, 1.270. Ao lado de Ceilândia (1.477), elas formam as três regiões com maior índice da doença no DF.

Ainda segundo o informativo, 81% dos pacientes (10.644) procuraram a rede pública para se tratar. Outros 14% buscaram tratamento na rede particular, o que corresponde a 1.859 pessoas. A rede pública de saúde de Goiás também foi procurada por 451 pacientes (3%).