Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/04/18 às 12h53 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Unidades de saúde participam de pesquisa da Opas sobre imunização

COMPARTILHAR

Unidades de saúde participam de pesquisa da Opas sobre imunizaçãoAlline Martins, da Agência Saúde

A Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS), em parceria com a Universidade de Emory, incluiu o Distrito Federal no roteiro do “Estudo Latino Americano e neonatal de imunização materna e neonatal América Latina”. O objetivo é avaliar os determinantes da imunização materna, a fim de fortalecer os programas de vacinação.

Na tarde desta terça-feira (3), o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) recebeu os representantes, onde foi criado um grupo com oito gestantes atendidas no local. Elas assistiram a uma palestra de esclarecimento sobre as vacinas que as grávidas devem tomar e responderam a um questionário para mostrar o quanto de orientação recebem sobre o assunto.

Entre elas estava a micro empresária Fernanda dos Santos, grávida de 34 semanas. Com as vacinas em dia, ela considera importante essa pesquisa. “A palestra que recebemos foi bem instrutiva. E se o estudo vier a melhorar ainda mais o atendimento, será ótimo”, destacou.

Além das gestantes, também estão sendo entrevistados os profissionais que trabalham em salas de vacina.

Um dos integrantes do grupo de pesquisa, Daniel Jones, fez boa avaliação do que ouviu das mulheres no Hran. “Elas foram bem colaborativas e, em geral, tem conhecimento adequado sobre o calendário de vacinação, mostrando que são alcançadas pela cobertura. E também demonstraram achar importante serem imunizadas e vacinar também os filhos”, destacou.

baixa2 3

Outras duas unidades receberão a visita do grupo nesta quarta e quinta-feira: a Unidade Básica de Saúde (UBS) 10, em Ceilândia, e a antiga Clínica da Família 4, em Samambaia. O objetivo é analisar as possíveis diferenças na implantação de serviços e vacinação a mulheres grávidas. Também serão analisadas as práticas de informações, a comunicação aos usuários bem como as diferentes percepções que eles tem dos serviços.

Segundo Daniel Jones, em até três semanas as análises feitas no Brasil estarão prontas. “Provavelmente, ao final de toda a pesquisa, devemos voltar ao país para dar o retorno e fazer recomendações gerais com bases nas boas práticas”, disse.

 

PAÍSES – Capitais de outros quatro países também participam da pesquisa: Buenos Aires (Argentina), Tegucigalpa (Honduras), Cidade do México (México) e Lima (Peru). Em todas elas, estão sendo visitados um hospital e duas unidades de atenção primária.

O grupo já passou por Honduras, Argentina e Brasil. Até o final de maio, chega ao México e Peru. “Acreditamos que até setembro já tenhamos todas as análises prontas”, destaca Jones.

Este grupo de países possui políticas e práticas de imunização materna e neonatal já em andamento, evidenciados pela introdução da vacina contra a influenza e a vacinação DT (difteria e tétano) para as mulheres grávidas. Além disso, três desses países possuem a vacina DTPa (difteria, tétano e coqueluche) para as mulheres grávidas: Brasil, Argentina e México; e dois deles têm recomendação para vacinação de mulheres grávidas contra a Hepatite B: Brasil e Argentina.