Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/19 às 18h11 - Atualizado em 4/02/19 às 14h17

Usuários com diabetes mellitus do tipo 1 que necessitam de insulina ultrarrápida devem recadastrar-se

COMPARTILHAR

 

A demanda de insulina ultrarrápida para pacientes com diabetes mellitus do tipo 1, atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Distrito Federal é suprida pelo Ministério da Saúde (MS). Devido ao alto-custo do insumo, os critérios para sua distribuição são ainda mais rígidos. Por isso, para pacientes que já recebiam o medicamento na Farmácia-Escola do Hospital Universitário de Brasília (HUB) e na Policlínica de Taguatinga precisam entregar a nova documentação exigida pelo MS. Novos pacientes já terão o cadastro preenchido dentro da norma.

 

Os documentos necessários ao recadastramento devem ser preenchidos adequadamente pelo médico prescritor e nos modelos disponibilizados no site da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF).

 

Além disso, o paciente ou seu responsável deve entregar todos os documentos exigidos (veja a tabela abaixo). A documentação será encaminhada para análise e, em alguns dias, se aprovada, o paciente estará novamente apto a retirar o medicamento.

 

A SES-DF fará todos os esforços para que a liberação ocorra o mais rápido possível.

 

 

REABASTECIMENTO – A Secretaria de Saúde recebeu 9.500 frascos de insulina ultrarrápida, nesta quinta-feira (31), que atende às necessidades dos pacientes com diabetes do tipo 1.

 

ONDE PROCURAR – A insulina ultrarrápida está disponível para os pacientes com diabetes tipo 1 cadastrados na Farmácia-Escola do Hospital Universitário de Brasília e na Policlínica de Taguatinga.

 

FITAS GLICÊMICAS – Na semana passada, o estoque da Farmácia Central da Secretaria de Saúde do Distrito Federal foi reabastecido com 2,5 milhões de fitas glicêmicas. O quantitativo é suficiente suprir a demanda da rede pelo período de 12 meses. A compra também incluiu a aquisição de glicosímetro, aparelho usado para medir a concentração de glicose no sangue.

 

Da Agência Saúde

Arte: Danielle Freire/Saúde-DF