Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/03/20 às 14h55 - Atualizado em 31/03/20 às 15h27

Vacina de rotina está suspensa até 15 de abril

Orientação é do Ministério da Saúde; campanha contra a gripe continua

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal recebeu a orientação do Ministério da Saúde para suspender a aplicação de vacinas de rotina durante a primeira fase da campanha contra a influenza. Com isso, até 15 de abril, os postos de vacinação vão aplicar prioritariamente a vacina contra a gripe no público alvo estabelecido para o período.

 

A partir de 16 de abril a rotina de vacinação deve ser retomada, a menos que uma nova recomendação seja feita. São consideradas de rotina as doses de tetravalente, poliomielite, tríplice viral, hepatite, febre amarela, entre outras.

 

A medida foi tomada para reduzir o contato de pais e crianças com os idosos, que são as pessoas que mais vêm apresentando complicações devido à Covid-19 e que são o alvo da primeira fase da vacinação contra a influenza.

 

Para as demais populações que compõem o calendário nacional de vacinação, a recomendação é que também atualizem sua caderneta de vacinação a partir de 16 de abril.

 

Caso algum usuário que não tenha conhecimento da medida compareça e necessite atualizar a situação vacinal (especialmente de crianças), as equipes estão orientadas a realizar as aplicações. Outra exceção faz referência às pessoas que estão na faixa etária da Campanha Indiscriminada contra Sarampo, que devem ser vacinadas caso compareçam na sala de vacina. A vacina contra a febre amarela também deve ser aplicada, pois o vírus está circulante no território nacional.

 

Após o dia 15 de abril, estratégias devem ser organizadas para atualização da caderneta de vacinação de crianças dos grupos pertencentes aos demais calendários do Sistema Único de Saúde (SUS) e das demais fases da Campanha de Vacinação contra a influenza.

 

CORONAVÍRUS – Surgida no final de 2019, a Covid-19 é uma doença infecciosa causada por um vírus recém-descoberto. Uma de suas características é o alto índice de contaminação, no entanto, a maioria das pessoas infectadas com o vírus experimentará doença respiratória leve ou moderada e se recuperará sem a necessidade de tratamento especial, porém alguns grupos como os idosos têm mais probabilidade de desenvolver formas graves da doença.

 

INFLUENZA – A influenza é uma infecção que pode se manifestar com gravidade, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção. A hospitalização e morte ocorrem principalmente entre os grupos de alto risco. Em todo o mundo, estima-se que epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e de cerca de 290 mil a 650 mil mortes.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde