Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/06/14 às 15h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Vigilância Sanitária categoriza 152 estabelecimentos alimentícios

COMPARTILHAR

Outros 45 não atenderam os requisitos para o trato com os alimentos

 

A Diretoria de Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (Divisa/SES-DF) creditou 152 estabelecimentos com o selo de qualidade A, B e C, sendo eles excelentes, ótimos e bom, respectivamente. Outros 45 não atenderam os requisitos.

Foram categorizados os estabelecimentos localizados em Brasília, que vendem pratos à lacarte, self services, sanduíches, sucos naturais, fast food, shushi/sashimi, massas, entre outros.

Os estabelecimentos categorizados com a nota A não possuem nenhum descumprimento de normas sanitárias. Os casos B e C são locais que ainda têm alguma pendência, mas não são reprovados, podem ser frequentados. “Os estabelecimentos com notas C e B podem ter pendências, mas não são aquelas que tornam a comida e o serviço reprovados e eles já estão em fase para conseguir o conceito A”, afirma André Godoy, gerente de Alimentos da Divisa.

As análises foram divididas pela categorização geográfica, que considera a localização dos serviços de alimentação e as rotas turísticas. “Como alguns jogos realizados pela Copa do Mundo acontecerão no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, localizado na região central, os pontos mais próximos desse estádio foram inspecionados e categorizados, mas a ideia é dar continuidade e expandir em todo o DF”, explica o gerente.

Os estabelecimentos verificados são das regiões de Brasília Norte e Sul (incluindo Asas Sul e Norte, hotéis, shoppings, Setor Comercial Norte e Sul, Setores Bancários e toda a região administrativa do Plano Piloto), Octogonal, Sudoeste, Guará, Cruzeiro, Lago Norte e Lago Sul.

Copa

O selo de qualidade é uma iniciativa da vigilância sanitária em articulação com o Ministério da Saúde. As vigilâncias sanitárias das cidades participantes serão responsáveis pela inspeção dos serviços de alimentação que serão apresentados aos cidadãos em forma de projeto piloto. A Copa do Mundo foi considerada o momento oportuno para sua execução. 

Categorização

No DF, as fiscalizações sanitárias começaram desde 2011, quando vários estabelecimentos foram inspecionados pela Divisa. A partir daí, o órgão definiu várias estatísticas para validar o processo de implantação do selo.

O objetivo é classificar os serviços de alimentação com base em um instrumento de avaliação que prioriza os aspectos de higiene de maior impacto para a saúde. Essa classificação ficará disponível ao consumidor em sites dos órgãos responsáveis.

Jozeías Nunes e Alessandra Franco, da Agência Saúde DF