Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/06/19 às 10h24 - Atualizado em 13/06/19 às 13h32

Vítimas de acidente em barco no Acre chegam ao Hran

Pacientes com queimaduras graves serão tratados em serviço de referência

 

A Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) recebe, nesta quinta-feira (13), quatro pacientes adultos, vítimas da explosão de um barco em Cruzeiro do Sul, no Acre, com queimaduras graves. O primeiro chegou a Brasília logo após as 9h. Os outros três deverão desembarcar no Distrito Federal por volta das 20h.

 

A previsão é de que eles fiquem internados no Hran, em tratamento, por um período de quatro a seis meses. O transporte dos pacientes está sendo feito por avião UTI da Força Aérea Brasileira (FAB).

 

A explosão do barco aconteceu no final da tarde da última sexta-feira (7). “Se não houvesse essa mobilização, o prognósticos deles seria bem pior”, avalia o chefe a Unidade de Queimados do Hran, José Adorno.

 

“Nosso propósito é resgatar essas vítimas com queimaduras graves e oferecer tratamento o mais precocemente possível, dadas as condições em que ocorreu o acidente”, esclarece José Adorno. Ele afirma: “Acionamos os quatro bancos de tecidos do país e solicitamos o apoio do Serviço Nacional de Transplantes, via centrais de regulação”.

 

COOPERAÇÃO – A logística de transporte dos pacientes mobilizou diversos órgãos de governo. Os pacientes começaram a ser transportados ainda na manhã desta segunda-feira (10), numa operação logística articulada e colaborativa, envolvendo a Unidade de Queimados do Hran, a Sociedade Brasileira de Queimados (SBQ), a Presidência da República, o governo do Acre, a Força Aérea Brasileira, a Unidade de Queimados de Belo Horizonte, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e toda a rede integrada do Sistema Único de Saúde.

 

Existem, no Brasil, 46 centros de tratamento especializado em queimaduras, a maioria pertencente ao SUS. “E qualquer unidade de queimados tem a responsabilidade territorial de atender todas as demandas nesse sentido”, enfatiza Adorno. Ele explica que a Secretaria de Saúde do DF concentrou esforços para viabilizar as vagas e atender às vítimas do Acre.

 

SERVIÇO – O pronto-socorro da Unidade de Queimados do Hran funciona 24 horas por dia, com a presença de médico e enfermeiro especialistas em queimaduras. O serviço realiza de dez a 15 atendimentos por dia.

 

Quem chega pelas portas do Ambulatório, é internado, se necessário, ou encaminhado para a continuidade do cuidado, como é o caso dos pequenos queimados. O Ambulatório atende 250 pacientes por semana, funciona de segunda a sexta-feira, com agenda aberta, pela manhã e à tarde.

 

Os pacientes internados no terceiro andar são classificados como grandes queimados ou queimados especiais (queimadura química, de face, mão, genitália, ou grandes queimados – adultos, acima de 20% do corpo, e crianças com mais de 10% de área corporal queimada).

 

Por ano, a unidade atende de 250 a 300 pacientes internados. Eles recebem cuidados de equipe multiprofissional, formada por médicos clínicos, cirurgiões, anestesistas, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, assistente social, terapeuta ocupacional, além de psiquiatra, quando necessário.

 

VÍTIMAS – Dos internados ao longo de um ano, as crianças representam de 40% a 50%. Os traumas decorrem de acidentes domésticos com líquidos quentes (água quente), inflamáveis (álcool, gasolina), choque elétrico, produtos químicos.

 

“Aqui, na unidade do DF, além de atender queimados, acolhemos também pessoas com a síndrome da necrose epidérmica toxica, vítimas de  reações alérgicas a medicamentos que atingem o corpo todo.Somos, inclusive, referência para os acidentes químicos, biológicos e radionucleares, o que coloca a Unidade de Queimados do Hran como estratégica para receber múltiplas vítimas, inclusive as decorrentes de ataques terroristas”, enumera José Adrono.

 

 

Luciene de Assis, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

 

 

Vítimas de acidente em barco no Acre chegam ao Hran