Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/11/19 às 13h30 - Atualizado em 13/11/19 às 13h37

Ambulatório do HRT realiza Dia “D” de prevenção ao diabetes

COMPARTILHAR

Aproximadamente 100 pessoas foram atendidas

 

Pacientes que chegaram ao ambulatório do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), nesta quarta-feira (13), receberam atendimento extra. Em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, celebrado nesta quinta-feira (14), a equipe de endocrinologia organizou um circuito de exames clínicos para verificar o risco de diabetes dos pacientes, com ênfase na prevenção da doença. Cerca de 100  pessoas fizeram os exames e receberam orientações.

 

Adriana Pereira das Virgens, 50 anos, foi ao ambulatório em busca da marcação de uma consulta para a filha e não perdeu a oportunidade de cuidar da própria saúde. “É interessante, porque a gente nunca se importa com essas coisas. A gente acha que está tudo bem, então, encontrando assim, no ponto, a gente aproveita e já faz o exame e toma uma providência”, comenta a paciente, que recebeu encaminhamento para realizar outros exames.

 

Alfredo da Silva Souza, 47 anos, foi diagnosticado durante a ação com alto risco para o diabetes. Recém-chegado do Piauí para morar em Brasília, uma das primeiras providências será buscar a sua unidade básica de saúde de referência para dar continuidade aos exames. “Tem gente na minha família com diabetes. Muito boa essa oportunidade”, elogia o paciente.

 

A falta de prevenção e cuidado é um dos principais problemas que leva ao diagnóstico tardio da doença. De acordo com a endocrinologista Flaviene Alves do Prado Romani, 50% dos pacientes que têm diabetes não sabem que possuem a doença.

 

“Eles já chegam com complicações ao sistema de saúde. Às vezes, o diagnóstico é pela complicação. Por exemplo, pacientes com pé diabético que internam aqui no pronto-socorro e nem sabiam que tinham diabetes. Aí, na internação, apresentam uma glicemia muito alterada, mas veio por conta da ferida no pé, a úlcera”, explica a médica.

 

AÇÃO – O responsável técnico administrativo da Endocrinologia do HRT, Antonio Bosco Mascarenhas, explica que esta “é uma ação para conscientização e diagnóstico, avaliação dos pacientes que sabem que possuem a doença e verificação de como está o controle de quem não tem acesso ao serviço e não faz exames há muito tempo”.

 

Outro ponto destacado por Mascarenhas é o conceito que a doença traz no meio popular, devido aos cuidados que ela exige. “O diabetes é uma doença que tem um estigma muito grande por traz, porque mexe com a cultura alimentar, uma série de fatores e há pacientes que têm muita dificuldade”, acrescenta.

 

As pessoas que participaram da ação no ambulatório do HRT tiveram a oportunidade de verificar o peso, aferir a pressão arterial, fazer teste de glicemia, medição da circunferência abdominal, recebendo uma avaliação dos médicos e residentes e os encaminhamentos, quando necessário. Também foram realizadas palestras de orientação nutricional enquanto os pacientes aguardavam.

 

DIA MUNDIAL DO DIABETES – A data foi criada em 1991 pela International Diabetes Federation (IDF) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O dia 14 de novembro corresponde ao aniversário de Frederick Banting que, juntamente com Charles Best, deu origem aos estudos da insulina no ano de 1921.

 

NOVEMBRO DIABETES AZUL – A campanha de prevenção ao diabetes faz parte do calendário do Ministério da Saúde e traz como tema deste ano “Família e Diabetes”. Segundo dados da pasta, a doença matou 406.452 pessoas no Brasil entre 2010 e 2016.

 

A patologia é diagnosticada por meio de exame de sangue, solicitado nas unidades básicas de saúde.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF