Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/06/17 às 21h42 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Atenção Domiciliar do Guará realiza Arraiá dos Cuidadores

COMPARTILHAR

Evento, com direito a dança de quadrilha, ocorreu no Centro de Ensino Especial 1

BRASÍLIA (13/6/2017) – O Núcleo de Atenção Domiciliar do Guará realizou, nesta terça-feira(13), o Arraiá dos Cuidadores no Centro Educacional Especial nº 1 do Guará, em parceria com a direção da unidade. O evento foi promovido para confraternizar com os cuidadores dos pacientes assistidos pelo programa. A ação faz parte do projeto “Cuidando de quem cuida” que propõe atividades durante o ano para os cuidadores. O objetivo é retirá-lo da realidade em que vive. Os profissionais buscam proporcionar momentos de lazer e estreitar os laços com a equipe multidisciplinar.

Lançado em 2009, o NRAD do Guará atualmente cuida de 60 pacientes e conta com 13 profissionais. São enfermeiros, fisioterapeutas, assistente social, psicólogo, entre outros que prestam assistência diariamente aos pacientes. Nesses oito anos de existência, o núcleo coleciona histórias. Alguns já se foram, mas o cuidador ainda mantém os laços com a equipe que por tantos anos ajudou a cuidar de seu ente querido. É o caso de Iracy Enoque Silva, de 73 anos, que cuidava da mãe, falecida em 2016, aos 101 anos.

“Não tenho palavras para expressar a gratidão por esse trabalho. Eles me ensinaram muita coisa e tudo o que sou hoje devo à experiência com minha mãe. Sempre fui educadora e, agora, terminei um curso de extensão na UnB como educadora social em gerontologia. Apesar de minha mãe ter ido, continuo trabalhando com idoso e ajudando pessoas nessa área”, afirmou Iracy.

Liliam de Melo, assistente social da unidade, destaca que o trabalho do cuidador é estressante e traz um grande desgaste emocional. Por isso, trabalham para estabelecer um vínculo com a família do paciente além do profissional. Ressalta que a atividade extradomiciliar auxilia o cuidador a olhar para si mesmo. Esse já é o quarto encontro proposto pelo setor. A programação inclui filmes, palestras motivacionais e momentos de relaxamento, ideais para aliviar a pressão e o cansaço.

“Pode parecer um tempo pequeno com eles, frente ao que enfrentam todos os dias, mas traz um grande diferencial. Nós, como equipe, sentimos no nosso dia-a-dia a diferença neles que se sentem valorizados porque muitas vezes são esquecidos pela família. Nós temos casos de pacientes que possuem mais de quatro filhos, mas apenas um ou dois participam da situação em que o pai e/ou a mãe estão vivendo. Este é um momento de interação e cumplicidade. Setor privado algum proporciona essa sintonia”, declarou Liliam.

 

O cenário não foi escolhido à toa. O Centro de Ensino Especial nº 1 do Guará possui estudantes assistidos pelo NRAD. Além disso, a própria diretora da unidade Sandra Rodrigues tem uma história de 22 anos como cuidadora de um paciente e aluno que hoje é um filho do coração. A escola atende desde bebês a partir de três meses de idade a adultos. No evento, os alunos participaram dançando a quadrilha de São João e envolvendo os cuidadores e profissionais no festejo.

“Apesar de estar aposentada, não consigo largar esse trabalho que é tão gratificante. Isso aqui me faz viver. Cuidamos do aluno e da família que a maioria não tem condições alguma de um sustento financeiro e emocional. Hoje, já temos atendimento 100% das crianças inscritas porque conseguimos um ônibus para busca-las em casa. Aqui é uma escola de vida e para a vida”, destacou Sandra.

O PROGRAMA – A Atenção Domiciliar é uma modalidade de atenção à saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação prestadas em domicílio, com vistas à redução da demanda por atendimento hospitalar e/ou redução do período de permanência de usuários internados, à humanização da atenção, à desinstitucionalização e à ampliação da autonomia dos usuários.

Para ter acesso aos serviços programa, o familiar e/ou responsável pelo paciente deve entrar em contato com o Núcleo Regional de Atenção Domiciliar (NRAD) da Regional de Saúde onde mora: Asa Norte, Asa Sul, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho ou Taguatinga.

A solicitação de internação domiciliar sempre será realizada por meio de relatório médico detalhado, proveniente tanto dos serviços da rede de saúde como clínica da família, centros de saúde, hospitais (fluxo de desospitalização) e UPA, quanto dos próprios familiares e/ou responsáveis pelo paciente. Entre os critérios de admissão estão: residência e domicílio comprovado no Distrito Federal; cuidador identificado e quadro clínico compatível com o perfil do serviço.