Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/12 às 17h13 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Balanço das ações nas regionais de saúde

COMPARTILHAR

Melhorias na Regional do Guará


A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulga semanalmente balanços das ações desenvolvidas pelas Coordenações Regionais de Saúde. O objetivo é informar, por meio de entrevistas com os coordenadores, os projetos em andamento, obras executadas e serviços implantados para melhorar o atendimento ao paciente.

Guará

A implantação do Centro de Emergência é um dos destaques da Regional de Saúde do Guará. A diretora regional de saúde, Maroa Santiago Gomes fez um balanço dos projetos executados desde o ano passado e dos projetos em andamento.

ASCOM – Entre as melhorias ocorridas nos últimos meses, o que pode ser apontado como mais importante?

DRA. MAROA – O mais importante foi a implantação do Centro de Emergência com a Sala Vermelha, no Hospital Regional do Guará e das Equipes de Estratégia de Saúde da Família na Cidade Estrutural. O Centro de Emergência foi determinante para a diminuição do número de óbitos e para a minimização das sequelas de acidentes vasculares cerebrais.

ASCOM – Quais as especialidades oferecidas pelo Hospital do Guará e como é feito o entrosamento com os centros de saúde?

DRA. MAROA – As vagas para as especialidades são distribuídas aos Centros de Saúde conforme a demanda de cada um. A distribuição é feita pelo NRCA – Núcleo de Registro, Controle e Avaliação – e pela Central de Regulação. As especialidades são Odontologia, Psiquiatria, Psicologia, Otorrino, Oftalmo, Geriatria, Cardiologia, Dermatologia, Acupuntura, Endocrinologia Adulto, Ginecologia, Colposcopia, Homeopatia Pediátrica e Fisiatria.

ASCOM – Quais as principais ocorrências (doenças) atendidas pelo hospital?

DRA. MAROA – Em volume de atendimento são: diabetes, hipertensão, doenças cerebrovasculares, desintoxicação pelo uso abusivo de álcool e outras drogas.

ASCOM – Qual é a área de abrangência do hospital?

DRA. MAROA – Cidade Estrutural, Invasão do Jockey Club, SIA. SCIH, Chácaras e Setor Habitacional Lúcio Costa, Guará I e II, Chácaras Águas Claras, Setor Habitacional Vicente Pires até a Chácara 25, Park Way até a Quadra 5.

ASCOM – Quais os projetos da Regional do Guará para curto e médio prazo?

DRA. MAROA – Transformação do CSGu 4 em uma UPA tipo 3, adequação da Odontologia para implantação do CEO – Centro de Especialidades Odontológicas, adequação do antigo posto policial do Setor Lúcio Costa para implantação de duas Equipes da Estratégia Saúde da Família, além da reforma da Odontologia do Centro de Saúde 1 do Guará.

ASCOM – Quantos pacientes são atendidos pela atenção domiciliar do hospital? Quem tem direito ao serviço?

DRA. MAROA – O número de pacientes atendidos em domicílio pelo Núcleo de Atendimento Domiciliar da Regional do Guará é de sessenta, em média. O atendimento domiciliar obedece aos critérios estabelecidos em Portaria do Ministério da Saúde.
De acordo com os critérios, o Programa organiza as informações sobre o paciente em uma tabela produzida na cidade de Cascavel-PR, em três níveis classificatórios de admissão e permanência. No nível 1, o paciente possui relativa independência nas funções respiratórias, nutricionais e outras, essenciais. Nesse nível, ele recebe um relatório médico que o encaminha ao Centro de Saúde para acompanhamento. No nível 2, o paciente já precisa de ajuda para executar essas funções e no nível 3 pode precisar até mesmo de nutrição parenteral Esses dois níveis são acompanhados em domicílio pela equipe multidisciplinar do NRAD.
A ficha de pré-admissão é bastante completa, preenchida pelo acompanhante do paciente. Todos recebem a visita da equipe e a classificação é feita em contato direto com o paciente, não somente pela presença do sinal ou sintoma observado, mas pelo grau de comprometimento. Cada sintoma conta alguns pontos e a soma desses pontos classifica o paciente.