Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/06/15 às 17h24 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Brasil é exemplo em doação de sangue

COMPARTILHAR

País foi parabenizado pela OPAS em reunião com representantes de 10 países

BRASÍLIA (16/6/15) – O secretário de Saúde João Batista participou, nesta terça-feira (16), do Encontro de Troca de Experiências entre Países, na sede da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), em comemoração ao Dia Mundial do Doador de Sangue. A solenidade contou com a presença do Ministro da Saúde, Arthur Chioro, e do representante da Opas no Brasil, Joaquín Molina.Também participaram autoridades de 10 nações: Cuba, El Salvador, Equador, Honduras, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Bolívia e República Dominicana.

Um dos assuntos em destaques na pauta foi a meta da Organização Mundial da Saúde de os países atingirem 100% de doações voluntária (em que o doador não recebe valores pecuniários), uma realidade no Brasil que não se repete facilmente em outros lugares.

“Cada um precisa resgatar a sua história e avanços. No Brasil, já tivemos casos de pessoas que vendiam seu sangue em troca de dinheiro e faziam disso um meio de subsistência. Hoje não fazemos parte dessa realidade, mas em muitos outros locais ainda existe a comercialização”, destacou o ministro.

Na capital do país, onde o Hemocentro possui certificação de qualidade ISO 9001, são cerca de 6,5 pessoas que se candidatam a doar sangue por mês e, destes, mil estão aptos. O quantitativo representa 2% da população do DF, média superior a nacional que é 1,8%.

“Em Brasília, estamos trabalhado muito e fazendo ações de sensibilização como a caminhada realizada no Parque da Cidade no último domingo para convidar as pessoas que ainda não contribuem. Sabemos que doar sangue é salvar vidas”, enfatizou o secretário de Saúde.

De acordo com os dados, o Brasil representa 33% de todo o sangue coletado na América Latina e Caribe. Foram cerca de 3,7 milhões de bolsas colhidas em 2014. Com isso, o país foi convidado pela Opas como exemplo de Estado que tem apresentado compromisso com a qualificação do sangue e com o fácil acesso aos hemocomponentes seguros.

“Este ano, a China foi escolhida como anfitrião da comemoração mundial do Dia do Doador e o Brasil para celebração da data nas Américas”,disse Joaquín Molina. “Nós parabenizamos o Brasil pelo magnífico trabalho que tem desenvolvido no campo do sangue seguro. O SUS avança com a garantia da cobertura universal, pública e gratuita”, complementou.

Segundo ele, o tema da campanha mundial em 2015 é “Obrigada por salvar minha vida”, com o lema, Doe voluntariamente, doe frequentemente. Doar sangue é importante. O objetivo é agradecer aos doadores de sangue, conscientizar a população para contribuir com regularidade, e oferecer um atendimento que garante uma assistência com segurança aos doadores.

Ao final do evento, doadores dos cinco estados brasileiros foram homenageados em reconhecimento ao histórico de doações no país.

MANUAL – Em comemoração ao Dia Mundial do Doador de Sangue, o ministro lançou o Manual da Doação Voluntária de Sangue, com 151 páginas escritas com a participação de mais de 20 especialistas de hemocentros de todo o país que serão distribuídos para eventos científicos e unidades de coleta de sangue. Na publicação, os índices contemplam temas como gestão de qualidade, humanização da doação de sangue e marcos da legislação.