Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/10/19 às 11h02 - Atualizado em 14/10/19 às 12h06

Brasília recebe simpósio inédito sobre sepse e injúria renal aguda

COMPARTILHAR

Osnei Okumoto participou da abertura do evento

 

Brasília recebeu, na noite desta quinta-feira (11), um evento inédito no Brasil. O 1º Simpósio Sepse + Rim – Injúria Renal Aguda em Sepse reuniu profissionais de duas especialidades médicas que caminham lado a lado: a Nefrologia e a Medicina Intensiva. O objetivo foi debater os avanços e desafios da sepse e injúria renal aguda, doenças que matam mais de seis milhões de pessoas no mundo todos os anos.

 

O evento foi idealizado após a constatação de grande número de pacientes atendidos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), cujo diagnóstico de sepse – mais conhecida como infecção generalizada – evoluía para complicações como insuficiência respiratória e grave comprometimento renal.

 

Presente à cerimônia, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, elogiou a inovação dos organizadores em promover um evento voltado a esse tema, e apresentou dados que refletem a realidade dessas doenças no Brasil. Entre 25% a 35% dos pacientes desenvolvem sepse quando estão em unidades de internação regulares, e 15% a 20% durante a internação em UTIs. Além disso, até 60% dos pacientes com sepse internados em UTIs brasileiras falecem.

 

Outro ponto ressaltado pelo secretário é que cada episódio de sepse custa à saúde pública, aproximadamente, R$ 38 mil, sendo que 59% do orçamento total é destinado a pacientes que acabam evoluindo para óbito.

 

“Trata-se de um grave desafio para a saúde pública. Por isso, desejamos que ao final deste evento tenhamos um estudo cada vez mais atualizado para diminuir os óbitos e fazer com que essas pessoas possam retornar para os seus lares”, ressaltou Osnei Okumoto.

 

PROGRAMAÇÃO – Os profissionais ficarão reunidos até este sábado (12), participando de palestras e mesas redondas que debaterão, por exemplo, sobre a temática “O papel multidisciplinar no tratamento do choque séptico e a prevenção de Injúria Renal Aguda (IRA)” e “Drogas e IRA”, com o papel da farmácia clínica.

 

O simpósio é organizado pela Sociedade Brasileira de Nefrologia e pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira. No evento, estarão presentes as maiores referências nacionais e internacionais dessas especialidades.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu, em 2017, a sepse como prioridade de saúde global em prevenção, diagnóstico e tratamento ao redor do planeta.

 

Da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

Leia também...