Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/03/18 às 16h08 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Brazlândia ganha primeiro Centro de Atenção Psicossocial

COMPARTILHAR

Estrutura tem capacidade para atender até 70 mil pessoas

BRASÍLIA (7/3/18) – O primeiro Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Brazlândia foi inaugurado nesta quarta-feira (7). A estrutura, localizada na quadra 1 área especial 2, Setor Veredas, tem capacidade para atender uma população entre 20 mil e 70 mil pessoas. Até então, a região administrativa não possuía uma unidade de serviços em Saúde Mental.

“Estamos entregando um equipamento reivindicado há muitos anos pela população de Brazlândia para o atendimento em saúde mental. Antes, as pessoas tinham que se deslocar para Ceilândia, a 22 quilômetros de distância”, disse o governador, Rodrigo Rollemberg.

O chefe do Executivo acrescentou que a Saúde passa por um momento de revolução em razão das mudanças que estão sendo adotadas para ampliar o acesso da população aos serviços públicos de saúde.

Ao lado do governador, o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, lembrou que o espaço  foi cedido pela administração regional e fica ao lado da Unidade Básica de Saúde 4 (USB), que já alcança 85% de cobertura de Saúde da Família.

“Sabemos o quanto a distância influencia na capacidade de se obter serviços de saúde, por isso, é tão importante essa estrutura nesse local. Além disso, a expansão dos Caps é um dos principais pontos da política de saúde mental humanizada. Temos atendimentos individuais e em grupos com diversos profissionais”, disse.

FOTO BAIXA 1 INAUGURACAO CAPSI BRAZLANDIA

SERVIÇO – A equipe do Caps de porte I é composta por médico com formação em saúde mental, um enfermeiro, dois psicólogos, um terapeuta ocupacional e três profissionais de nível médio, sendo dois técnicos de enfermagem e um técnico administrativo.

O Caps atenderá, por turno, entre 20 e 30 pacientes com transtorno mental e dependência química. O horário de funcionamento será das 7h às 18h.

Nos primeiros três meses, o serviço receberá usuários e familiares acima de 16 anos de idade com transtornos mentais e dependência química. Posteriormente, após capacitação das equipes, será ampliado para crianças. Entre as atividades estão: acolhimento, atendimento individual e em grupo, visita domiciliar, matriciamento e trabalho em rede.

ESTRUTURA – A unidade conta com recepção, gerência/administração, consultórios, salas multiuso, depósito, copa, expurgo/DML, vestiário dos servidores, almoxarifado, banheiros.

REDE – Além da unidade de Brazlândia, o Distrito Federal conta 17 Caps, sendo sete deles para álcool e drogas de portes I, II e III (Guará, Itapoã, Ceilândia, Setor Comercial Sul (Candango), Santa Maria, Sobradinho e Samambaia), quatro Capsi (Asa Norte, Recanto das Emas, Sobradinho e Taguatinga), os quais atendem crianças e adolescentes menores de 18 anos com sofrimento psíquico grave e menores de 16 anos em uso ou abuso de álcool e drogas; e seis Caps localizados em Brasília, Taguatinga, Paranoá, Planaltina, Samambaia e Riacho Fundo (esse último no Instituto de Saúde Mental). No total, há pouco mais de 20 mil pacientes ativos em atendimento.

O Caps integrará a Região de Saúde Oeste, que engloba Brazlândia e Ceilândia, e possui um Caps AD, em Ceilândia. A expectativa é que até o fim de 2019 seja implantado um Caps infantil.

AMPLIAÇÃO – A Secretaria de Saúde atualizou o Plano Diretor de Saúde Mental e, nele, está prevista a expansão de cobertura de Caps no DF – planeja-se licitar a construção de cinco centros até 2019. Como melhorias, a Diretoria de Saúde Mental implantará residências terapêuticas, está monitorando a produtividade dos leitos clínicos de saúde mental nos hospitais gerais da rede e neste primeiro semestre iniciará o Plano de Matriciamento de Saúde Mental na Atenção Primária.

Confira a galeria de fotos.