Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/02/20 às 17h36 - Atualizado em 20/02/20 às 18h59

Campanha contra bronquiolite se inicia

COMPARTILHAR

A doença tem sazonalidade entre os meses de março e julho

 

Lançada na última terça-feira (18), a Campanha contra Bronquiolite já está ocorrendo em todas as Unidades Básicas de Saúde do Distrito Federal. Com surtos entre os meses de março e julho, a doença afeta, principalmente, crianças de zero a dois anos de idade. Por ser uma doença respiratória típica dessa época do ano, a prevenção é o melhor jeito de trata-la.

 

Articuladora da ação, a primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, esteve na Unidade Básica de Saúde 11, da Asa Norte e destacou a importância da parceria entre a Secretaria de Saúde e Secretaria de Educação para prevenção da doença. Ela, que é mãe do Mateus, de 1 ano de idade, falou sobre os cuidados que se deve ter com crianças em razão da facilidade da transmissão de doenças.

 

“Certos cuidados não são frescuras. E com a sazonalidade da doença, é importante fazer uma campanha de prevenção à bronquiolite. A parceria da Secretaria de Saúde com a Secretaria de Educação tem o objetivo de alertar o maior número de pessoas possíveis, já que é na escola onde há o maior convívio entre crianças”, explica a primeira-dama do DF, que se disse adepta ao “não ao beijinho nas mãozinhas ou pezinhos das crianças”.

 

Mayara ressalta a importância da Portaria do GDF n°7. Segundo ela, essa é uma novidade em todo o Brasil, em que bebês prematuros de 29 a 31 semanas receberão uma dose do medicamento Palivizumabe, até os seis meses de idade. O medicamento previne doenças respiratórias graves em crianças.

 

As doenças relacionadas ao aparelho respiratório, como a bronquiolite, apresentam sintomas como coriza, espirros, obstrução nasal, tosse, cansaço, chiado no peito, febre, dor de cabeça e, dependendo da gravidade, mal-estar geral, dor no corpo e dificuldade respiratória.

 

A bronquiolite leva à hiperprodução de secreção e estreitamento nas vias respiratórias por conta da agressão dos vírus, sendo um dos principais agentes causadores o vírus sincicial respiratório (VSR). Em geral, a doença dura de sete a 10 dias.

 

De acordo com Ivana Novaes, coordenadora de pediatria da Secretaria de Saúde do DF, as crianças de até 2 anos possuem menos imunidade e, por isso, o cuidado deve ser redobrado. “É possível prevenir focando no aleitamento materno, utilização de álcool gel, lavagem frequente das mãos e cartão de vacinas em dia. Além disso, evitar visitas a recém-nascidos quando estiver com algum sintoma de gripe ou resfriado”, explica.

 

Segundo a coordenadora, é necessário procurar uma Unidade Básica de Saúde sempre que surgir algum sintoma, pois o quadro de bronquiolite começa leve e pode se agravar, podendo levar até a morte. O tratamento é feito através de muita hidratação e oxigenação.

 

 Jurana Lopes, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde DF