Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/03/16 às 19h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h14

Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil faz 18 anos

COMPARTILHAR

Festa teve bolo e brincadeiras. Unidade atende crianças e jovens com transtornos comportamentais

BRASÍLIA (30/3/16) – ” E.O. foi nosso primeiro filho, desde o nascimento percebemos um comportamento diferente das outras crianças. Descobrimos que ele tinha autismo e, aos 12 anos, sofreu um grave surto. Não sei o que seria de nós sem ter o apoio de um serviço especializado”. O depoimento emocionado é de Edvane Oliveira, mãe de E.O, 13 anos, um dos pacientes atendidos no Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi) da Asa Norte, que comemora, nesta quarta-feira (30), 18 anos de existência.

Na comemoração de aniversário da unidade – que também teve como objetivo fazer alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, em 2 de abril – os servidores preparam um bolo de 18 metros, além de brincadeiras lúdicas, apresentações culturais, pinturas de rosto e animação feitas pelo grupo voluntário de palhaços Terapeutas da Alegria.

“Nossa festa é para celebrar a importância desse serviço, mas também para conscientizar sobre o autismo, que é um transtorno que tem acometido muitas crianças e é caracterizado, sobretudo, pelo comportamento de isolamento social”, conta a gerente do Capsi, Christiane Kanzler, ao contabilizar a média de 450 atendimentos mensais.

Segundo ela, o serviço da unidade é diferenciado não só para crianças com autismo, mas também para quem apresenta sofrimento psíquico severo, como deficiência mental com acentuada alteração comportamental, psicose, neuroses graves, transtorno de humor, fobias e outros quadros. O serviço atende além de crianças, jovens de até 18 anos.

“Nós temos uma equipe multiprofissional para acompanhar todos os casos, que é composta por psicólogos, psiquiatras, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, assistentes sociais, nutricionistas e técnicos de enfermagem”, enumera a gerente.

Haylene Almeida, 37 anos, confirma que o atendimento contribui para a evolução do filho mais novo de três anos, H.A, que não desenvolveu a fala. O comportamento diferenciado se tornou mais perceptível quando a criança completou dois anos e não conversava. Segundo ela, desde que Henrique começou o tratamento, em janeiro deste ano, no Capsi, as mudanças já são perceptíveis.

“A equipe é maravilhosa. Meu filho, agora, está se desenvolvendo bastante. Ele não conseguia se concentrar, corria muito, mas agora ele senta e se concentra. Aqui, eles oferecem brincadeiras e terapias das quais ele gosta de participar. Tudo isso estimula a fala dele”, contou a mãe, ao destacar que ainda não tem um diagnóstico definido para a alteração comportamental do filho.

DIA MUNDIAL DO AUTISMO – Criado pela Organização das Nações Unidas em 18 de dezembro de 2007, a data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), com intuito de alertar as sociedades e governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer sobre a patologia.
O autismo tem como principais sintomas: fobias, agressividade, dificuldades de aprendizagem e de relacionamento. No entanto, o autismo é único para cada pessoa, ou seja, cada um pode apresentar características diferentes.

Serviço:
Capsi
Endereço: – SMHN, Quadra 03, Bloco A (ambos no mesmo local)
Funcionamento: 7h – 19h
E-mail: capsi.asanorte@yahoo.com.br

Confira as fotos aqui: