Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/10/13 às 20h08 - Atualizado em 30/10/18 às 15h08

Desfile na Rodoviária marca encerramento do Outubro Rosa

COMPARTILHAR

O mês chegou ao fim, mas a prevenção continua


A Rodoviária do Plano Piloto foi o palco de um desfile diferente nessa quarta-feira (30). Mulheres que venceram o câncer de mama e tiveram os seios reconstruídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) exibiram suas silhuetas e autoestima na passarela enfeitada com balões e fitas cor-de-rosa.

O principal objetivo é divulgar a importância do autoexame para que o diagnóstico seja cada vez mais precoce. Subiram ao palco, também, empresárias, médicas e mulheres da política, que integram o grupo Recomeçar de Mulheres Mastectomizadas de Brasília juntamente com as mulheres que já passaram pelo procedimento.

O desfile contou com a colaboração de grifes brasileiras de roupas confeccionadas especialmente para o evento. “Tudo rosa e bem conceitual”, explica a assessora de comunicação da marca Dudalina, Aline Fernandes.

Para a presidente/fundadora do Recomeçar, Joana Jeker, a detecção precoce salva vidas. Ela, que foi diagnosticada com câncer de mama em 2007, aceitou o desafio do tratamento e hoje está totalmente curada. “O câncer me deu a oportunidade de contribuir para a felicidade das mulheres mastectomizadas”, comemora.

Ela fez todo o tratamento pelo SUS e ainda aposta na qualidade dos serviços prestados. “O SUS oferece todo o amparo para a mulher que está com câncer de mama. A nossa principal missão no Recomeçar é mantê-las bem informadas sobre a importância de continuar o tratamento, mesmo que seja depois do mês de outubro”, alerta Joana, que ainda completa: “O mês das comemorações acabou. A prevenção nunca deve acabar”.

A aposentada Valmira Silva, 59 anos, descobriu a doença em fevereiro de 2004 e retirou as mamas em novembro do mesmo ano. Este procedimento foi realizado no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) e a reconstrução das mamas no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), em 2011. “Tive um atendimento de primeira qualidade. Quando terminou o tratamento eu me olhei no espelho e me senti muito bem”, diz Valmira.

Lucas Carvalho