Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/06/20 às 9h30 - Atualizado em 19/06/20 às 11h16

DF conta agora com 98 UBSs para testagem da Covid-19

COMPARTILHAR

São oferecidos testes rápidos e swab para pacientes sintomáticos. Atendimento ocorre nas 172 unidades

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

A Secretaria de Saúde tem intensificado a testagem em pessoas sintomáticas para detectar a Covid-19 na Atenção Primária, porta de entrada para atendimento na rede pública. Por isso, ampliou o serviço que conta agora com 98 unidades básicas de saúde (UBSs) que realizam os testes rápidos e o swab, de acordo com cada perfil de paciente.

 

“Os testes a mais nas UBSs significam um reforço para a população não ir a um hospital e aglomerar com pacientes em estado grave. A ideia é descentralizar os pontos de atendimento. Quanto mais unidades estiverem com testes, mais as pessoas serão atendidas perto de suas casas. Sempre reforçando que são para pessoas com sintomas gripais”, informou o coordenador de Atenção Primária à Saúde (Coaps), Fernando Erick Damasceno.

 

Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde

 

As 98 UBSs estão distribuídas nas sete Regiões de Saúde do Distrito Federal. Os exames de pacientes que apresentarem sintomas são coletados nas próprias unidades. Além disso, é realizada a estratégia fast-track ou duplo fluxo, em que os pacientes com quadros respiratórios entram em fluxos separados na unidade.

 

De acordo com o coordenador da Coaps, o mais importante é fazer os testes com critério, somente após a recomendação de um profissional de saúde. A depender da avaliação da equipe, o paciente precisará ou não de exames complementares e internação. Assim, a unidade básica de saúde encaminhará para os hospitais de referência.

 

“Mas dependendo da situação, as vezes os pacientes não precisarão fazer nenhum dos testes. Não é necessário um para indicar o isolamento social, por exemplo. O mais importante é o exame clínico. Se o médico verificar que a pessoa tem sintomas, vai fazer o teste, ou recomendar a pessoa para ficar em isolamento em casa”, ressaltou Fernando Erick.

 

O gestor ressalta que 80% dos casos de coronavírus serão leves ou assintomáticos. “Ou seja, as pessoas não precisarão de internação, mas de cuidados gerais com a saúde, como ficar em casa, tomar remédios para febre e dores, manter o corpo hidratado, higienizar as mãos, usar máscara e ficar vigilante em relação à evolução do estado geral de saúde”, destacou.

 

A rede pública de saúde do Distrito Federal conta com 172 unidades básicas de saúde, em todas as regiões administrativas, que oferecem acolhimento e atendimento para os casos suspeitos de Covid-19. Se alguma delas não for uma das 98 que tenha testes, a equipe de saúde da unidade vai direcionar o paciente sintomático a UBS mais próxima da sua residência que faz o procedimento.

 

ASSINTOMÁTICOS – Caso seja um paciente assintomático, mas que esteja em contato com pessoas que tenham os sintomas, o indicado será ficar em isolamento social. Além disso, quando algum membro da família testa positivo para a Covid-19 todos do grupo familiar são orientados a ficarem em isolamento, recebendo atestado de 14 dias para observação dos sintomas.

 

Se houver piora, é necessário procurar novamente o serviço de saúde, caso contrário, respeitar o isolamento em casa e, somente depois desse período, voltar às atividades. “Lembrando que a partir do terceiro dia com sintomas, até o sétimo, já é indicado fazer o teste do swab. A partir do oitavo dia, pode ser o teste rápido, porque os anticorpos são mais detectáveis”, explicou Fernando Erick.

 

TESTAGEM – Além dos testes rápidos, as unidades básicas de saúde oferecem testes RT-PCR para a Covid-19. Esse tipo de teste é realizado a partir da amostra colhida com o swab por nasofaringe, que são materiais genéticos obtidos da mucosa do fundo do nariz ou da garganta com uma haste flexível (cotonete).

 

 

O processamento dos materiais coletados é feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen-DF). O teste é feito com indicação do médico ou enfermeiro da UBS, em pacientes sintomáticos, a partir da avaliação de um profissional de saúde.

 

As UBSs estão abastecidas com os kits para testes que identificam o novo coronavírus. Ainda assim, com o objetivo de ampliar ainda mais o estoque, a Secretaria de Saúde abriu pregão eletrônico para a aquisição de 1 milhão de testes rápidos IgG e IgM para detecção da Covid-19.