Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/07/20 às 15h16 - Atualizado em 2/07/20 às 17h28

DF já testou mais de 403 mil pessoas para a Covid-19

COMPARTILHAR

Testes rápidos e RT-PCR foram aplicados em diversas modalidades

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Em pouco mais de três meses, a Secretaria de Saúde já viabilizou a testagem para detectar o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em 13% da população do Distrito Federal. Até a noite da última terça-feira (30), já haviam sido contabilizados 403.708 exames com 36.142 confirmações para a doença.

 

Entram nessa contagem os testes feitos por drive-thru, nas ações itinerantes em diversas localidades consideradas vulneráveis, nas feiras, no sistema prisional, nas unidades básicas de saúde (UBSs), nos servidores da saúde de outros órgãos públicos, além dos exames feitos pelo Laboratório Central de Saúde do Distrito Federal (Lacen).

 

O teste rápido para detecção da Covid-19 pode ser feito em qualquer unidade básica de saúde do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

 

A rede pública de saúde disponibiliza dois tipos de testes: o rápido, feito a partir da coleta de uma gota de sangue que detecta os anticorpos gerados pelo organismo para enfrentar o vírus, e o RT-PCR (swab nasal), que coleta material genético do nariz do cidadão.

 

O swab é oferecido nas UBSs e é feito por recomendação médica a partir do terceiro dia dos sintomas – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

 

Ao ultrapassar os 400 mil testes realizados, o DF alcançou os 13% da população estimada, que chega a 3.015.268 pessoas conforme o último censo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Para o secretário de Saúde, Francisco Araújo, a realização de testes é um instrumento importante na definição de estratégias para retomada das atividades econômicas e sociais do Distrito Federal, de forma gradual e segura. “Alcançar 13% da população testada é um feito para poucas unidades da Federação e serve para tranquilizar as pessoas, pois mostra que o combate à pandemia tem ocorrido de forma eficiente”, destacou.

 

Testagem nos servidores do HRC por swab nasal – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

 

Somente entre os profissionais da Secretaria de Saúde, 41.538 pessoas foram testadas até 26 de junho, entre servidores efetivos (39.192) e terceirizados (2.346). No total, 1.105 tiveram resultado positivo para Covid-19, o que representou 2,6% dos casos da doença entre os servidores e 2,42% dos terceirizados – dentro da margem esperada pelos gestores.

 

MODALIDADES – Para ampliar as testagens em massa na população, a Secretaria de Saúde criou desde abril algumas modalidades de testes para a Covid-19.

 

A primeira foi pelo sistema drive-thru, que começou em 21 de abril. Foram 227.422 testes aplicados em locais que apresentaram a maior incidência do novo coronavírus. No período, 18.309 casos positivos foram encontrados.

 

Drive-thru funcionou entre 21 de abril a 26 de junho em 27 regiões do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

 

Através da Testagem Itinerante, os testes se estenderam para as áreas consideradas mais vulneráveis entre os dias 20 de maio a 12 de junho. Foram 37 regiões onde 33.061 pessoas foram testadas, por não terem condições de fazerem os exames em postos drive-thru. Assim, 2.231 novos casos da doença foram encontrados.

 

A testagem itinerante ocorreu entre os dias 20 de maio e 12 de junho – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

 

Para detectar o vírus nos trabalhadores das feiras do Distrito Federal, equipes da Secretaria de Saúde tem feito a triagem entre os feirantes com sintomas gripais. Até o momento, 995 pessoas foram encaminhadas às UBSs e testadas para verificar se estavam com a Covid-19. Desses, a doença foi confirmada em 59 feirantes.

 

Feirantes recebem ação educativa na Feira do Núcleo Bandeirante – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

 

O balanço dessas três modalidades pode ser visualizado aqui.

 

As ações também foram ampliadas para grupos de risco como abrigados e pessoas privadas de liberdade. Atualmente, a Secretaria de Saúde aumentou a oferta de testes da Covid-19, que passaram a ser feitos, desde a última segunda-feira (29), em todas as 172 unidades básicas de saúde do Distrito Federal.

 

População privada de liberdade e servidores da Segurança foram testados para a Covid-19 – Foto: Divulgação

 

O brasiliense que estiver com sintomas da doença causada pelo novo coronavírus deve procurar a UBS mais próxima de sua residência, onde será acolhido e poderá fazer o teste de acordo com a avaliação da equipe de enfermagem, ou médica.

 

A população do DF também conta com o TeleCovid pelos telefones 190 (Polícia Militar), 193 (Bombeiros) e 199 (Defesa Civil).

 

Arte: Érick Alves

 

HISTÓRICO – A pandemia causada pelo novo coronavírus tem mobilizado governos e autoridades sanitárias para a produção de respostas oportunas e em tempo adequado para contenção da progressão da doença e redução das consequências.

 

Em 30 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o evento como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional, conforme estabelece o Regulamento Sanitário Internacional (RSI 2005). O Ministério da Saúde, por sua vez, declarou em 20 de março de 2020 o estado de transmissão comunitária da doença.

 

Em 28 de Fevereiro de 2020, por meio do Decreto Nº 40.475, foi declarada situação de emergência no âmbito do Distrito Federal. Na capital, a pandemia teve início na segunda quinzena de fevereiro, tendo sido confirmado o primeiro caso em 5 de março.

 

O GDF mantém o monitoramento sistemático das ações, bem como da evolução dos quadros, para garantir o nível de resposta adequado e a adoção das medidas de combate.

 

Em 9 de abril, por exemplo, foi elaborado o primeiro Plano de Implementação de Testagem para Detecção do Coronavírus, priorizando, naquele momento, os profissionais da Saúde e da Segurança Pública.