Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/06/17 às 16h50 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras tem ciclo de palestras

COMPARTILHAR

Evento é realizado no Hran, referência no tratamento do trauma

BRASÍLIA (6/6/17) – Reconhecido como unidade de referência no tratamento de pessoas vítimas de queimaduras e das sequelas decorrentes do trauma, o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) celebra, nesta terça-feira (6), o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras que deu origem à Semana Nacional de Combate e Prevenção à Queimaduras. A unidade promoverá, até 7 de junho, o II Ciclo de Palestras que terá 14 exposições de assuntos relacionados à causa. A ação é feita em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e de Queimaduras.

Na edição deste ano, o cabo da Polícia Militar do DF Heitor Theodoro da Silva, há sete anos na corporação, foi homenageado pelos bons serviços prestados à sociedade. Lotado no 11º Batalhão da PMDF (Samambaia), ele salvou 22 pessoas, entre homens, mulheres e crianças, que dormiam e não se deram conta de que o prédio onde moravam estava pegando fogo.

Na ocasião, Márcia Rollemberg ressaltou a importância dos bancos da vida como um novo conceito na relação do cidadão com os serviços disponibilizados pela rede pública. “São novos tempos que exigem outros valores e, portanto, novas moedas, como é o caso da doação de pele humana aos bancos de pele, onde vidas são garantidas por meio desse ato”, observa.

O secretário de Saúde, Humberto Fonseca, destacou o trabalho realizado pela Unidade de Queimados do Hran como uma referência que tem a preocupação de promover ações de conscientização quanto à relevância da prevenção às queimaduras. “Apesar de termos garantido um serviço de excelência, a forma mais barata e que garante os melhores resultados continua sendo a prevenção. Por isso, se faz necessário a continuidade de ações como essa que promovem o conhecimento”, alertou o gestor.

A mesa de abertura do evento teve a participação da colaboradora do Governo de Brasília, Márcia Rollemberg, esposa do governador Rodrigo Rollemberg; do secretário de Saúde, Humberto Fonseca; do representante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Sílvio Ferreira; do diretor executivo da Fundação Hemocentro de Brasília, Jorge Vaz; da superintendente da Região Centro-Norte de Saúde, Ana Patrícia de Paula; do diretor do Hran, José Adorno e do coordenador de Cirurgia Plástica da Secretaria de Saúde, Fernando Pontes.

BANCO DE PELE – No evento, o diretor do Hran, José Adorno, apresentou o Projeto do Banco de Tecido Humano da Secretaria de Saúde que reunirá em um único lugar todos os transplantes desse tipo, como pele, córnea, osso, cartilagem e membrana amniótica. A unidade escolhida para receber o banco foi o Hemocentro. No momento, o local está em fase de estruturação.

Atualmente, o Hospital de Base oferece transplante de córnea e o Hran está na fase de cadastramento para se tornar um receptor de pele humana. No Brasil há cinco unidades de bancos de pele.

Adorno explicou que os objetivos da nova especialidade serão: realizar a seleção dos potenciais doadores de pele; fazer a captação, processamento e armazenamento da pele; o processamento do tecido; assegurar a qualidade e a segurança biológica do tecido para disponibilizá-lo para uso clínico e fornecer pele humana para todos os centros de tratamento de queimados e traumatizados do Brasil.

Segundo a coordenadora-geral da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do DF (CNCDO), Daniela Salomão, a capital do país contabilizou 25,7 doadores de órgãos por milhão de habitantes em 2016. Dessa forma, o número praticado no DF está próximo ao de países que alcançaram os primeiros lugares no ranking da doação, caso de Espanha, Croácia, Bélgica, Portugal e Estados Unidos.

DADOS – O Hran é o único que oferece a cirurgia reparadora para esse tipo de lesão. Localizada no terceiro andar do hospital, a Unidade de Queimados exerce trabalho pioneiro no tratamento de pessoas vítimas de queimaduras e nas sequelas decorrentes do trauma. São 18 leitos de internação. A emergência funciona 24 horas por dia.

No local, os pacientes são atendidos por equipe multiprofissional formada por médicos de diversas especialidades, além de enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, psicóloga, terapeuta ocupacional e assistente social. 

Confira as fotos aqui.