Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/02/19 às 14h59 - Atualizado em 6/02/19 às 15h44

Especialistas debatem Atenção Primária na Organização Pan-Americana da Saúde

COMPARTILHAR

 

 

As experiências exitosas da Atenção Primária do Distrito Federal, Porto Alegre e Teresina foram apresentadas, nesta quarta-feira (6), em uma oficina sobre os estudos de caso do Laboratório de Inovação da Atenção Primária à Saúde Forte, que também contou com a participação de representantes da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

 

No caso do Distrito Federal, o enfoque foi sobre o aumento importante da cobertura, resultado da gestão dos recursos humanos. Atualmente, existem 530 equipes de Estratégia Saúde da Família atuando em 170 Unidades Básicas de Saúde, o que representa 67,8% de cobertura.

 

“Nesse caso, houve racionalização e melhor uso dos recursos humanos disponíveis, o que é um problema enfrentado por muitos gestores. Foi uma iniciativa importante”, ressaltou o coordenador de Sistemas e Serviços de Saúde da Opas no Brasil, Renato Tasca.

 

FORTALECIMENTO – Ele explicou que, nessas ações de melhoria, se produz muita informação, que precisa ser divulgada. “Estudamos casos inovadores de sucesso para construir e compartilhar conhecimento, e formar o consenso de que é importante fortalecer a Atenção Primária para melhorar o SUS, bem como as condições de saúde dos brasileiros”, finalizou.

 

O diretor do Complexo Regulador da Secretaria de Saúde do DF, Sandro Rodrigues, enfatizou ser necessário que a Atenção Primária seja robusta e ordenadora do serviço de saúde. E complementou: “O Distrito Federal apresentou a reestruturação da Atenção Primária, colocando a Estratégia Saúde da Família como prioritária e o Complexo Regulador como suporte à Atenção Primária resolutiva e forte”.

 

Ao longo do evento, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre apresentou as ações estratégicas destinadas a ampliar o acesso da população à Atenção Primária, e o Telessaúde, que também já está funcionando no Distrito Federal. Por fim, o grupo de Teresina demonstrou como funciona a rede de suporte laboratorial. Lá, a cobertura da Atenção Primária já atinge 100% da população.

 

 

Ailane Silva, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF