Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/06/16 às 17h52 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Estante Literária encanta pacientes do Hospital Dia

COMPARTILHAR

Projeto, sugerido por uma paciente, já conta com cerca de 400 livros.

BRASÍLIA (22/6/16) – Oferecer uma oportunidade para que pacientes em tratamento de doenças graves façam uma pausa na vida real e viagem no mundo da leitura. Este é o objetivo do projeto Estante Literária, inaugurado nesta quarta-feira (22), no Hospital Dia. São mais de 400 livros, organizados na entrada da unidade, que é referência no atendimento de tuberculose, hanseníase, hepatite virais e HIV.

Entre as literaturas, há o “O poder sem limites”, de Anthony Robbins; “Tudo tem seu preço”, de Zibia Gasparetto; “O grande mentecapto”, de Fernando Sabino; “A cabana”, William P. Young; “A menina que não sabia ler”, de John Harding; e muitos outros.

A iniciativa de humanizar o ambiente a partir da leitura foi de uma das pacientes do hospital, Sandra Vilela. Primeiro, ela criou o Mercadinho do Bem, um bazar com um sebo de livros para ajudar quem não tinha recursos. “Convivi com outros pacientes e sei como são as dificuldades. Nem todos os livros foram vendidos e, com isso, surgiu a ideia de montar o espaço literário”, contou Sandra, que faz acompanhado para tratar hepatite há dois anos e meio.

Cada pessoa pode levar até três livros. Embora não tenha prazo definido para devolução, nem multas, é necessário fazer a devolução. Por isso, há uma reserva de bibliografias para reposição. Os livros são identificados com etiquetas coloridas, sendo a cor branca para literatura, o amarelo para literatura infantil, verde para edições religiosas, azul para o conteúdo de autoajuda e alaranjado para os de poesia.

“Quando foi decidido montar a Estante Literária, pensamos no público-alvo e definimos cinco categorias: romance, literatura infantil, livros religiosos, poesia e livros de autoajuda”, citou a bibliotecária, que é voluntária do projeto, Almira Almeida.

De acordo com o gerente da unidade, Luiz Henrique Rodrigues de Sousa, por mês, são atendidos cerca de 3,8 mil pacientes. “A leitura é um apoio positivo para esse perfil de paciente, principalmente, porque estão em situação de vulnerabilidade da doença e a literatura ajuda a melhorar a própria condição psicológica dessas pessoas”, disse.

LEITURA COMO TERAPIA – Há dois anos e meio em tratamento no Hospital Dia, Claudia Vanice Martins Santos, 46 anos, acredita que a iniciativa pode ajudar muitos pacientes a superarem as dificuldades. “Repentinamente, descobri que estava com hepatite e fiquei sem chão. Por isso, a leitura foi e continua sendo um apoio que me faz esquecer os problemas, porque entro em um outro mundo, que me acalma”, contou, ressaltando que já recebeu alta e faz apenas acompanhamento.

“A leitura abre novos horizontes, no sentido de permitir o surgimento de novas orientações para a vida, inclusive para o lado espiritual. Nos livros de autoajuda, podemos encontrar forças porque podemos conhecer histórias de pessoas que superaram problemas mais difíceis que os nossos”, disse o paciente Juarez Jorge Cardoso Oliveira, 67 anos, que é acompanhado pela equipe da unidade há três anos e meio.

Para a superintendente da Região Centro Sul, Akalenni Bernardino, o projeto é excelente, “A literatura faz com que a nossa mente se abra para um mundo paralelo que, além ampliar o conhecimento, é curativo porque com a mente boa, o corpo responde positivamente”, observou.

CONTRIBUA – Quem se interessar em ajudar com o projeto também pode doar livros. Basta se dirigir à unidade, onde há uma caixa disponível para depositar os livros, que serão triados semanalmente para reabastecer a estante.

Veja as fotos aqui: