Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/06/13 às 18h58 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Hemocentro inaugura abrigo de resíduos sólidos e câmara fria, no Dia do Doador de Sangue

COMPARTILHAR

Coleta de sangue do cordão umbilical no HRC também será lançada 

A Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) comemora nesta sexta-feira (14) o Dia Mundial do Doador de Sangue com uma programação que começa com sessão solene na Câmara Legislativa do Distrito Federal, às 9h30. Às 14h30, na sede da FHB (SMHN, quadra 3), serão inaugurados o Abrigo de Resíduos Sólidos e a Câmara Fria para armazenamento de sangue, além do lançamento da coleta de sangue do cordão umbilical e placentário do Hospital Regional da Ceilândia (HRC).

A sessão solene na Câmara Legislativa tem o objetivo de homenagear todos os cidadãos brasilienses que contribuem de alguma forma com a doação de sangue. Durante a solenidade, doadores, multiplicadores, parceiros e representantes da mídia que ajudam a divulgar as atividades do Hemocentro – de captação de doadores -, receberão um certificado da Câmara Legislativa do DF, em agradecimento pelo gesto altruísta e solidário.

Abrigo de Resíduos Sólidos
A construção do abrigo externo para armazenamento de Resíduos Sólidos de Saúde visa atender a legislação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA – que dispõe sobre o Regulamento Técnico para o Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RDC nº 306 de 07/12/2004), garantindo segurança desde o manejo até o tratamento e armazenamento externo dos resíduos sólidos.

A obra, realizada com recursos do GDF, possui área física de 83,86 metros quadrados e teve um custo de R$ 216.726,96. O novo espaço da FHB é composto por ambientes para recepção de resíduos químicos, comuns e perfuro cortantes/ infectantes.

Segundo o gerente de Distribuição e Processamento de Hemocomponentes/FHB, Fábio de França, o local trará vários benefícios para o Hemocentro. “Com este abrigo teremos maior segurança ambiental, com a redução do risco de acidentes como intoxicações, explosões e infecções, maior controle e proteção contra pragas, vetores e roedores, eficácia no gerenciamento dos resíduos e principalmente, estaremos garantindo os padrões de qualidade da FHB e em conformidade com as legislações ambientais e sanitárias”, informa o gerente.

Câmara Fria

Com o objetivo de garantir padrões de qualidade, a FHB contratou a montagem de novas câmaras frias, responsáveis pelo armazenamento do sangue, o que representou um investimento de R$ 302.000,00. A instalação exigiu a readequação de espaços físicos, para implantação de uma câmara fria (+4º C) e duas câmaras ambientes (+22º C), com temperatura controlada que trarão os seguintes benefícios:
• maior espaço de armazenamento de concentrados de hemácias ( aumento de 150% em relação ao espaço destinado para este fim anteriormente, com economia de energia);
• câmara fria a 4ºC, que possibilita manuseio dos concentrados de Hemácias em temperatura de acondicionamento, propiciando a manutenção da qualidade do sangue e possibilitando um melhor monitoramento da cadeia de frio;
• cada câmara possui dois equipamentos de refrigeração de alta performance, sendo que um equipamento é capaz de manter a temperatura controlada, possibilitando manutenções corretivas e preventivas;
• câmaras estruturadas para melhor eficiência de limpeza.

Lançamento da coleta de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário no HRC

A Fundação Hemocentro de Brasília é responsável pelo Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário de Brasília (BSCUP), primeiro e único banco público da região Centro–Oeste, que integra a rede BrasilCord.

A FHB já realiza a coleta do sangue do cordão umbilical e placentário no Hospital Materno Infantil de Brasilia (HMIB) e agora amplia o serviço para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

“A escolha pelo HRC deve-se ao fato de ser o hospital da rede que historicamente realiza o maior número de partos normais, o que significa uma grande chance de alcançarmos a meta de coleta de sangue do cordão umbilical e placentário das parturientes no tempo previsto”, esclarece a diretora-presidente da FHB, Beatriz Mac Dowell Soares.

O que é o sangue do cordão umbilical e placentário?

O sangue de cordão umbilical e placentário é o sangue que fica na placenta e no cordão umbilical depois que o bebê nasce. Esse sangue é rico em células tronco progenitoras hematopoéticas, capazes de dar origem a todas as células do sangue como os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Essas células são utilizadas no transplante de medula óssea.

Quem pode ser beneficiado pela doação?

Os pacientes com doenças graves, como leucemia, linfomas, anemias congênitas, imunodeficiências congênitas, além de outras doenças do sistema sanguíneo e imune que necessitam de transplante dessas células e que não tenham doadores de medula óssea compatíveis.

Como é feita a coleta do sangue ?
É feita após o nascimento, depois que o cordão umbilical é separado do bebê.

Qualquer gestante está apta a doar?
Não, somente as gestantes que estejam em boas condições de saúde, com idade mínima de 18 anos, que tenham feito no mínimo duas consultas de pré-natal documentadas, com com idade gestacional a partir de 35 semanas no momento do parto e não possuam doenças neoplásicas (câncer) e/ou hematológicas (anemias hereditárias, por exemplo).

Lena Nardelli